Quinta-feira, 29 de Julho de 2021
Retorno das aulas

Escolas particulares do Amazonas voltam a oferecer ensino híbrido a partir da segunda semana de março

Início das aulas depende da continuidade da queda no número de casos de Covid-19



Sem_t_tulo_344CFEC2-3B3F-4567-810F-738A67D3E5D3.jpg Foto: Reprodução / Internet
26/02/2021 às 10:33

Durante reunião nesta quinta-feira (25), com o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Privado do Estado do Amazonas (Sinepe-AM), o Governador Wilson Lima afirmou que se os índices de casos de Covid-19 continuarem em queda, a previsão é que as escolas de educação infantil serão autorizadas a funcionar com ensino híbrido (oferta de aulas presenciais e remotas em dias alternados), a partir do dia 8 de março.

A presidente do Sinepe-AM, Elaine Saldanha, disse que a expectativa é que o Ensino Fundamental, Médio e Superior retornem com intervalos de uma semana, a partir do início das atividades do ensino infantil. “Com a experiência que tivemos no ano passado, pudemos observar que os protocolos adotados têm se mostrado eficientes para evitar contaminação no ambiente escolar, isso porque desde o início da pandemia temos trabalhado de forma estratégica, em parceria com os órgãos públicos”, avalia.



No encontro, que também contou com a presença do secretário de Educação, Luis Fabian Barbosa, e da presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), Therezinha Ruiz, o assessor jurídico do Sinepe-AM, Rodrigo Melo, apresentou o cenário do setor, que hoje enfrenta a maior crise da história.

“Todas as escolas estão com 40% de vagas ociosas, pois tiveram cancelamentos de matrículas, isso somado ao índice de inadimplência, que no ano passado era de 35% e, hoje, já chega a ultrapassar 60%. Oito escolas já fecharam as portas na cidade, a maioria está com funcionários em aviso prévio e a tendência é que haja demissão em massa de trabalhadores do setor da educação”, disse Melo.

Estratégias para retorno

Ainda na reunião, o Sinepe-AM entregou um plano estratégico ao Governo do Amazonas, que traz medidas que irão assegurar um retorno no formato híbrido seguro aos alunos, professores e colaboradores das instituições de ensino.

Entre as medidas, está a lotação das salas de aula limitada a 50% da capacidade, o distanciamento mínimo de 1,5 metro entre as carteiras ocupadas, evitar aglomeração, contato físico e compartilhamento de materiais entre alunos, além da disponibilização do álcool 70%, uso de máscaras individuais, limpeza e desinfecção de sapatos, de materiais escolares e da escola.

A realização de  triagem para acesso às escolas é também uma das bandeiras levantadas pelo sindicato. Os alunos, educadores e colaboradores que apresentarem sintomas serão afastados e retornarão apenas após a liberação médica.

 

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.