Segunda-feira, 26 de Julho de 2021
Ensino a distância

FVS oferta curso para enfrentamento de doenças por desastres no Amazonas

A capacitação virtual está com inscrições abertas até o dia 31 de março. Saiba como se inscrever



23d610ec-bad9-4a7e-ae29-f66ecc71d8c6_1C9253C3-EC32-4ED1-8B6D-DA9598A9AC45.jpg Foto: Divulgação
15/03/2021 às 13:36

Reduzir o risco da exposição da população do Amazonas diante do enfrentamento a desastres, como cheia e estiagem, é o principal objetivo do Curso Básico de Vigilância em Saúde dos Riscos Associados a Desastres (Vigidesastres) da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM). A capacitação virtual está com inscrições abertas até o dia 31 de março pelo link http://bit.ly/2ODgTnl.
 
A ementa do curso possui 20 horas de carga horária e contempla conceito e classificação de desastres; os principais desastres registrados no Amazonas; e as ações de resposta de enfrentamento pela Vigilância em Saúde com desenvolvimento de plano de contingências e alerta de cheias no estado.
 
O diretor-presidente da FVS-AM, Cristiano Fernandes, aponta que o curso é a oportunidade de ofertar capacitação técnica sobre o enfrentamento a desastres às secretarias municipais de saúde no Amazonas. “Com a mudança de gestões municipais, percebemos a necessidade de treinar os profissionais de saúde para lidarem, da melhor forma possível, com os impactos das cheias e estiagens no Amazonas”, afirma.
 
Com 20 municípios do Amazonas em situação de emergência, devido à cheia dos rios, nesse primeiro quadrimestre, as atenções se voltam para o enfrentamento de doenças ocasionadas pelas cheias.
 
“Doenças de veiculação hídrica e aumento de acidentes por animais peçonhentos são alguns dos problemas enfrentados pela população no período de enchente”, disse o coordenador do Comitê de Vigilância em Saúde para Desastres da FVS-AM (CVSD/FVS), Renato Souza.
 
Hipoclorito

Nesse mês de março, a FVS-AM enviou 185.148 frascos de hipoclorito de sódio para 20 municípios do Amazonas que se encontram em situação de emergência, devido às inundações graduais registradas no inverno amazônico, entre janeiro e abril.
 
Os municípios são: Carauari, Envira, Guajará, Ipixuna e Itamarati, na calha do Juruá; Beruri, Boca do Acre, Canutama, Lábrea, Pauini e Tapauá, na calha do Purus; e Alvarães, Amaturá, Atalaia do Norte, Benjamim Fernandes, Fonte Boa, Jutaí, Santo Antônio do Içá, São Paulo de Olivença e Tonantins, na calha do Alto Solimões.
 
Ao longo de 2020, a FVS-AM enviou 3,2 milhões de frascos de hipoclorito de sódio para os 62 municípios do Amazonas. O envio ocorre por meio do programa de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Vigiagua), coordenado no Amazonas pela Gerência de Riscos Não Biológicos (GRNB) do Departamento de Vigilância Ambiental (DVA) da FVS-AM.



News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.