Quinta-feira, 06 de Maio de 2021
Retorno das aulas

Secretário municipal de educação avalia retorno das aulas presenciais

As condições da Covid-19 em Manaus serão levadas em conta antes de qualquer decisão



show_1266459_3F82EC2C-945D-4330-ADD7-325179C3548E.jpg Foto: Arquivo A CRÍTICA
03/01/2021 às 09:30

O secretário municipal de Educação da Semed, Pauderney Avelino (DEM), disse que a intenção da Secretaria Municipal de Educação é retomar as aulas presenciais na rede pública municipal de ensino ainda neste ano, desde que exista segurança sanitária para isso.

Em entrevista ao A CRÍTICA, Pauderney disse que qualquer decisão tomada nesse sentido levará em conta as autoridades de saúde e a ciência. Para ele, a retomada é necessária, já que, na avaliação dele, o ano passado foi perdido e os alunos ficaram “dispersos”.



Avelino declarou que a secretaria tem uma preocupação não só com a didática pedagógica, mas principalmente com a vida dos alunos e professores e prometeu que a retomada das aulas contará com a testagem dos professores e distribuição de máscaras.

“A nossa ideia é fazer aula presencial. É claro que agora estamos num momento em que a pandemia está voltando com força e tudo temos que avaliar com cuidado e muito critério, sem perder de vista essa possibilidade e também com todos os requisitos de segurança que o momento impõe”, disse.

O ex- deputado federal detalhou que a secretaria vai disponibilizar nas escolas totens com álcool em gel, tapete sanitizante, sanitização das escolas e adianta que já está em tratativa para obtenção destas estruturas.

“Os professores da Semed, os diretores de escola e os funcionários em geral já me conhecem. Sabem que eu não sou uma pessoa que toma decisões precipitadas. Sempre avaliamos a questão como um todo. Esse é um momento extremamente delicado e não iremos tomar nenhuma decisão que seja contrária à medicina”, se comprometeu ressaltando que não teme nenhum movimento grevista por parte dos professores.

Aulas suspensas

Com as aulas suspensas desde o dia 17 de março, os alunos da rede municipal de ensino passaram a receber itens da merenda escolar em casa, bem como o pagamento de um benefício de R$ 50 denominado pela gestão anterior de ‘Nossa Merenda’.

Segundo Pauderney, o programa que atende mais de R$ 58 mil alunos da Semed em situação de vulnerabilidade social e econômica e que já consumiu R$ 2,9 milhões, conforme a gestão anterior, vai durar até o mês de fevereiro.

Perguntado se manteria os auxílios aos estudantes, Avelino não deu detalhes. De acordo com uma estimativa da gestão Arthur Neto (PSDB), mais de 41 mil famílias receberam o benefício de R$ 50.

Originalmente, a redação do projeto da Prefeitura de Manaus estabelecia a quantia de R$ 25, após votação na Câmara Municipal de Manaus (CMM)  o valor do benefício subiu para os atuais R$ 50.

Procurado, o Sindicato dos Professores e Pedagogos das Escolas Públicas do Ensino Básico de Manaus - Asprom Sindical, informou por meio de seu coordenador de comunicação, que continua "veemente contrário" ao retorno das aulas presenciais na rede municipal de educação por entender que as salas de aula foram um dos principais vetores para o surgimento da segunda onda de infecção de Covid-19 no Estado.

"É preciso que pelo menos o primeiro bimestre seja planejado, totalmente, com aulas virtuais e conforme o andamento da pandemia ir fazendo um planejamento para a partir do segundo bimestre para ver se é possível pelo menos a instituição do ensino híbrido", disse a entidade.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.