Publicidade
Eleições
Financiamento

Campanhas de Artur Neto e José Ricardo já arrecadaram R$ 206 mil

Apenas os dois candidatos, de um total de nove prefeituráveis, aparecem no site do TSE com doações de campanha recebidas e despesas efetuadas 22/08/2016 às 23:34 - Atualizado em 23/08/2016 às 08:21
Show artur 3
Maior doador da campanha do prefeito Artur Neto, até o momento, foi o procurador-geral do município de Manaus Marcos Cavalcanti que tranferiu R$ 43 mil para a candidatura tucana
Aristide Furtado Manaus

A campanha pela prefeitura de Manaus começa a inundar as ruas da cidade com bandeiraços, caminhadas e distribuição de panfletos, principalmente, nos bairros mais populosos da Zona Norte e Leste, contudo, dos nove prefeituráveis apenas dois, até esta segunda-feira (22/8), apresentam registro na Justiça Eleitoral de recursos arrecadados.

De acordo com a minirreforma eleitoral, os partido,  coligações e candidatos são obrigados, durante a campanha, a divulgar no site criado pela Tribunal Superior Eleitoral (TSE) os  - os recursos em dinheiro recebidos para financiamento de sua campanha eleitoral, em até 72  horas de seu recebimento. No dia 15 de setembro têm que divulgar  relatório discriminando as transferências do Fundo Partidário, os recursos em espécie e os estimáveis em dinheiro (serviços e bens) recebidos, bem como os gastos realizados.

Até ontem só o prefeito Artur Neto, que concorre à reeleição pela coligação ‘Por uma só Manaus’ e o deputado estadual José Ricardo, candidato da aliança ‘Compromisso com o povo’, apareciam com prestação de contas do que  já foi recebido informada no site do TSE. O tucano declarou ter recebido R$ 119,4 mil, sendo R$ 58 mil em dinheiro e R$ 61,4 mil em bens ou serviços. O maior doador da campanha de Artur foi o procurador-geral do município, Marcos  Herrszon Cavalcanti, com a quantia de  R$ 43 mil. O segundo maior financiador foi Eraldo de Souza Teles com  R$ 39,1 mil estimados em dinheiro.

O candidato petista já informou a arrecadação de R$ 87 mil. A maior parte doada por ele mesmo: R$ 74,6 mil. Desse montante, R$ 60 mil foram transferidos eletronicamente para a conta de campanha. O restante se refere a valores estimados (bens ou serviços). Mesma modalidade doada por outras sete pessoas à candidatura do parlamentar.     

Figuram com os campos de receita e despesas zerados, na página do TSE, os prefeituraveis Marcelo Ramos, Henrique Oliveira, Hissa Abrahão, Luiz Castro, Queiroz, Serafim e Silas Câmara.
 
Este ano o repasse de dinheiro de empresas para as candidaturas é proibido. A medida decorre de decisão tomada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e dos vetos da presidência da República mantidos pelo Congresso na minirreforma eleioral.  O candidato só pode contar com recursos do Fundo Partidário, que este ano distribuirá quase R$ 870 milhões entre as 35 legendas, e com as doações de pessoas físicas. Cada eleitor ou eleitora pode injetar até 10% dos rendimentos brutos do ano anterior ao pleito (2015).

Consulta

No site do TSE, é possível consultar informações sobre o financiamento das Eleições 2016, no ícone Divulgação de ‘Candidaturas e Contas Eleitorais’, onde constam dados como a concentração de despesas e o ranking dos maiores doadores e fornecedores do prestador de contas.

Publicidade
Publicidade