Publicidade
Eleições
Campanha Eleitoral

Candidatos ao governo fazem 'maratona' de viagens por votos no interior

Reta final da campanha é marcada pela presença de candidatos em municípios do interior, onde está metade do eleitorado 25/07/2017 às 09:59 - Atualizado em 25/07/2017 às 13:37
Show mazoca
Em duas semanas, Amazonino já esteve em dez municípios do interior. (Foto: Clóvis Miranda)
acritica.com Manaus (AM)

Apenas dois dos nove candidatos ao governo do Estado possuem recursos suficientes para visitar o maior número de municípios do interior em tão pouco tempo para a campanha eleitoral. A maioria depende de vôos de linha ou consegue chegar apenas onde é possível por via terrestre.

A coligação "União pelo Amazonas", encabeçada por Eduardo Braga (PMDB), já esteve em mais da metade dos municípios do interior, totalizando 35 municípios visitados.  “Nossa meta é chegar a, pelo menos, 45 municípios até o final do primeiro turno. [...] Não trabalhamos com prioridade, pois entendemos que cada município tem a sua peculiaridade e todos têm a sua importância no Estado do Amazonas”, explicou Braga.

Amazonino Mendes (PDT) já alcançou seis municípios do interior e quatro da Região Metropolitana de Manaus (RMM). “Se tiver mais uma reunião, mais uma cidade para ir neste domingo, eu irei ver o meu povo com o maior prazer. Este é um processo de reconstrução do Estado. Eu vou dar o meu sangue, o meu suor e as minhas lágrimas pelo meu povo”, falou.

O candidato da coligação "O começo de uma grande mudança", Luiz Castro (REDE) ressalta que a chapa não possui recursos para visitar cinco municípios em um dia. “Nós dependemos de pequenas aeronaves, vôos de linhas. Portanto nós temos essa diferença, fazemos uma campanha com uma operacionalidade mais limitada do que esses três candidatos do sistema. Mas nós estamos fazendo um esforço sincero”, afirmou.

Nos próximos dias que antecedem as eleições, Castro já tem viagem planejada para Parintins, Nhamundá e Humaitá. O candidato conta que a cidade de Parintins está no roteiro por ser um município estratégico e o maior colégio eleitoral. Já Humaitá por conta do vice João Victor (PSOL) ter sido delegado de polícia no município.

O presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM) e candidato ao governo, Wilker Barreto (PHS), já esteve em Benjamin Constant, Tefé, Coari e Santa Izabel do Rio Negro. No próximo fim de semana, embarca para Barcelos e São Gabriel da Cachoeira. 

Barreto destaca que nenhum candidato pode visitar os 61 municípios do interior, mas que indo a algumas cidades já se pode detectar a situação geral por meio do sistema de amostragem. “E não preciso visitar todos os municípios para fazer o diagnóstico do interior do nosso Estado. É o mesmo. É triste a situação de abandono. De prefeituras sem apoio e que se vêem obrigadas a pagar tudo sozinhas, sem apoio algum do governo. Precisamos mudar essa realidade”, lamentou.

O petista José Ricardo, que também concorre ao cargo de governador do Amazonas com a chapa puro sangue, compareceu em três cidades do interior do Estado sendo eles: Urucará, Barreirinha e Parintins.

José Ricardo - deputado estadual e candidato pelo PT
 Por isso   que são poucos municípios,  onde está a maior parte do eleitorado. O ideal era que pudéssemos ir em todos os municípios. Mas a campanha já é curta por natureza, porque são 45 dias de campanha, nós tivemos aí essa paralisação de uma semana (com a suspensão das eleições suplementares por decisão do Supremo Tribunal Federal) e essa semana não foi reposta pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral), então prejudicou as candidaturas com menor estrutura. Não se recupera (o tempo perdido), por isso eu estava apoiando que pudesse ser prorrogado uma semana a mais para poder compensar a semana perdida. Quem decidiu suspender foi a justiça eleitoral.  Então, ela tomou dos candidatos uma semana de campanha. Na semana passada nós estivemos em Manacapuru, Iranduba, Rio Preto da Eva e Presidente Figueiredo. Ainda estou querendo ir em Tefé.

Candidata percorre 8 cidades  em 2 dias

Em uma “maratona” de visitas no último final de semana, a candidata Rebecca Garcia (PP) esteve em oito municípios do interior do Amazonas: Borba, Manicoré, Apuí, Humaitá, Boca do Acre, Lábrea, Canutama e Tapauá, percorrendo as calhas do Madeira e do Purus, no Sul do Estado.
 
O discurso é o mesmo dos demais candidatos: tomar medidas para dinamizar o setor produtivo, gerando “emprego e renda”. Rebecca tem atacado programas anteriores de estímulo à produção e ao desenvolvimento regional, chamando-os de “peças de propaganda”. Ela destaca hoje 95% do ICMS do Amazonas é recolhido em Manaus, o que contribui para a concentração de renda na capital em detrimento do interior.  

Em Boca do Acre e Lábrea, a maior demanda apresentada por populares foi a falta de água nas torneiras e de programas de habitação. A candidata do Partido Progressista afirmou que dará andamento ao projeto da estação de tratamento de águas, estabelecendo metas e prazos para permitir que o problema do abastecimento nesses municípios seja resolvido. Com relação à moradia, a promessa da candidata é viabilizar o programa Minha Casa, Minha Vida.

Jardel e Liliane Araújo ficam na RMM

Os candidatos ao governo do Estado do Amazonas que têm pouca estrutura e recursos apelam para alguns dos 13 municípios que compõem a Região Metropolitana de Manaus (RMM) na corrida da campanha eleitoral.

O candidato pelo PPL, Jardel Deltrudes, revela que por não ter estrutura formou um grupo com amigos via whatsapp para chegar com a campanha no interior do Amazonas. “A nossa campanha é mais rede online, porque a gente não consegue chegar aos interiores, a não ser Iranduba, que é mais perto”, expôs.

No último final de semana (22 e 23), a candidata Liliane Araújo (PPS) foi recebida nos municípios de Manacapuru, Iranduba e Presidente Figueiredo. Panfletagem e adesivagem veicular foram realizadas durante o encontro com moradores e comerciantes das localidades. “Como já venho dito durante as caminhadas, nada melhor do que um corpo a corpo com as pessoas, sentir a energia que nos é passada a cada olhar e sorriso. Sinto que elas querem mudança, renovação e isso é o gás que precisamos para continuar na caminhada até o dia 6 de agosto”, disse a candidata.

Publicidade
Publicidade