Publicidade
Eleições
"Manaus real"

'De Frente com a Realidade': Queiroz e a Manaus sem creches

Em série do programa 'Alõ Amazonas', candidato acompanha as dificuldades das mães que não têm onde deixar os filhos 30/08/2016 às 16:30 - Atualizado em 30/08/2016 às 17:47
Geizyara Brandão Manaus (AM)

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 161.699 crianças entre zero e quatro anos residem em Manaus. Apenas 4.401 são atendidas pela Secretaria Municipal de Educação (Semed) em 13 creches públicas.
 O candidato a Prefeito de Manaus pelo PSOL, Marcos Queiroz, esteve frente a frente com a realidade que a falta dessas estruturas educacionais  na capital amazonense proporciona para pessoas como a trabalhadora Jaciete de Paiva Cavalcante.

Mãe de nove filhos, Jaciete cuida de sete crianças com a ajuda do  marido, Humberto Cardoso. Marcos Queiroz acompanhou um pouco da rotina durante a série de reportagens com os candidatos a prefeito  “De Frente com a Realidade”, do programa “Alô Amazonas” e que é replicado em todos os veículos da Rede Calderaro de Comunicação (RCC).

Marcos Queiroz, que é professor, ressaltou a todo o momento que  a comunidade São Sebastião, onde mora a família de Jaciete, é a “Manaus real, a Manaus do povo. Manaus é muito mais que um cartão postal”

Professor na periferia da cidade, Queiroz relatou que  conhecia a realidade da família de Jaciete, pois se iguala a de muitos alunos das escolas em que lecionou. “Eu trabalho há muitos anos na Zona Leste da cidade e convivo diariamente com essa realidade, não é mais tão chocante. Mas sempre surpreende, achamos que já vimos de tudo na cidade, mas acabamos vendo um pouco mais”, disse.

Para o prefeiturável, a situação da dona de casa vai além da falta de creche. “Jaciete é um resumo da situação das pessoas em Manaus. Aqui não é a questão só da creche, mas da moradia, da alimentação, do conforto que não existe. Então, uma pessoa que vive aqui a chance real de vencer é muito difícil. Aqui tem toda uma situação social, uma família que requer todo o amparo de um planejamento familiar, requer orientações, questões médicas, da saúde”, explicou.

Queiroz afirmou que o foco do seu governo é o orçamento ouvindo a população e pretende, se eleito, aumentar o quantitativo de creches existentes na capital. “Se o orçamento for priorizado, ouvindo as pessoas dá para fazer, sim, creches. Em quatro anos dá para, pelo menos, duplicar ou triplicar a quantidade de creches com o planejamento e busca de dinheiro federal”, assegurou.

A esperança de Jaciete é que o próximo gestor público, eleito este ano, cumpra com as promessas e atente para outras zonas da cidade. “Espero que o novo governante olhe mais para a população carente, que precisa de saneamento básico, de creche. Uma creche já iria me ajudar bastante, não apenas a mim, mas outras mães também. Não é olhar só para o Jorge Teixeira, Cidade de Deus, esses bairros distantes, mas outros bairros que também tem gente humilde”, contou.

Publicidade
Publicidade