Sexta-feira, 04 de Dezembro de 2020
Transparência

Diego Afonso é o vereador mais rico a tentar reeleição em Manaus

Dos 38 vereadores que buscam mais um mandato em Manaus, Diego Afonso é o mais rico, com R$ 2,4 milhões. Vereador é dono do Autoposto Ipiranga São Francisco. Dados são do TSE



show_diego_B45F69CA-C75A-4E50-ABDF-2684B5CE2AE1__1__2AC8EC79-1C17-4CED-94D7-60AF477F6E18.jpeg Foto: Arquivo AC
12/10/2020 às 18:20

Entre os 38 vereadores que disputam à reeleição na Câmara Municipal de Manaus (CMM), o vereador Diego Afonso (PSL) é o mais rico com R$ 2,4 milhões declarados à Justiça Eleitoral. O parlamentar também lidera, entre os vereadores, em valores arrecadados já declarados com R$ 148 mil.

A CRÍTICA levantou na plataforma do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) DivulgaCand (Divulgação de Candidaturas e Contas Eleitorais) a declaração de bens e a prestação de contas de campanha dos 38 vereadores que buscam mais um mandato.



O presidente da CMM, vereador Joelson Silva (Patriota), declarou um patrimônio de apenas R$ 62,3 mil. Conforme a prestação de contas disponível, a origem do recurso declarado é de um depósito bancário em conta concorrente no Banco Bradesco na agência 2130, conta 000000601233.

Joelson Silva, que é ligado à Assembleia de Deus (IEADAM), tem doação total de R$ 7 mil, sengo R$ 5 mil de Adriana Silva do Nascimento Sales e R$ 2 mil de Nadilson de Menezes Leite.

Treze vereadores declaram um montante de R$ 358 mil de recursos para despesas de campanha como elaboração de vídeos, spot de rádio, santinhos e impulsionamento de conteúdos nas redes sociais. Vinte e cinco parlamentares ainda não publicaram a receita e os gastos de suas campanhas eleitorais.

O líder do prefeito Artur Neto (PSDB) na Câmara, vereador Marcel Alexandre (Podemos), apresentou uma lista de bens de R$ R$ 785 mil. Os itens mais valiosos são uma casa situada no residencial Efraim de R$ 191,8 mil. Um veículo Toyota Hilux de R$ 117,5 mil. Além de um terreno na ponta do gigante, Colônia dos Franceses, de R$ 100 mil. Ainda não consta no site do TSE prestação de contas dessa campanha em nome do candidato.

O presidente da 3° Comissão de Finanças, Economia e Orçamento (CFEO), comissão mais importante depois da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), vereador Gilmar Nascimento (Democratas), apresentou uma lista de bens de R$ 174,3 mil. Dentre eles, um Toyota Corolla Preto de 2019 (R$ 69,1 mil), Renault Logan Branco de 2015 (R$ 44,45 mil) e uma aplicação no banco Bradesco de R$ 30,6 mil. Ele já recebeu para a campanha R$ 20 mil, sendo R$ 10 mil de Thalyson Nascimento e o mesmo valor de doação própria.

O vereador Elias Emanuel (PSDB) apresentou um patrimônio de R$ 878 mil à Justiça Eleitoral. O item de maior valor é uma casa no Conjunto Jardim Petrópolis de R$ 400 mil, e um apartamento de 134, 5 m², localizado no condomínio Coral Gables de R$ 300 mil. Ele também não publicou na plataforma do TSE a receita e despesa.

Glória Carrate (PL), que está em busca do seu sexto mandato de vereadora, declarou um terreno de 600 m² localizado na Ponta Negra que sozinho representa todo o patrimônio. A campanha de Carrate recebeu uma doação de R$ 20 mil do candidato a prefeito Alfredo Nascimento do mesmo partido.

O vereador Marcelo Serafim (PSB) que declarou na plataforma DivulgaCand o montante de R$ 1,3 milhão em patrimônio. Tem um apartamento de R$ 524,8 mil no edifício Concept, financiado pelo Banco Itaú. Serafim não apresentou a prestação de contas no site do TSE.

Daniel Vasconcelos (PSC) desponta logo atrás com uma declaração de bens de R$ 1,3 milhão. A posse mais valiosa de Vasconcelos é um prédio comercial localizado no São José orçado em R$ 400 mil. Daniel não registrou nenhuma doação na plataforma para campanha.

O vereador Gedeão Amorim (MDB) declarou o mesmo patrimônio de R$ 1,3 milhão. Uma de R$ 550 mil localizada no bairro Betânia é de mais valor. Assim como outros colegas, Amorim ainda não disponibilizou os gastos e doações de campanha.

O vice-líder do prefeito, vereador Cel Gilvandro Mota (PSDB), apresentou uma declaração de bens de R$ 1,3 milhão. A lista de bens de Mota elenca dois itens: um apartamento de R$ 365 mil, localizado na Ponta Negra e uma casa com dois pisos financiada pela Caixa Econômica Federal por R$ 950 mil. Até agora, o vereador também não publicou as despesas e receitas de campanha

A vereadora Professora Jacqueline (Podemos) declarou bens de R$ 1,2 milhão. Na lista disponível no DivulgaCand, um fundo de previdência privada de R$ 606 mil como o item mais valioso. Ele já arrecadou R$ 15 mil na para a campanha.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.