Publicidade
Eleições
AVALIAÇÃO

Em meio a críticas, Marcelo Ramos deseja sorte a Artur Neto

O candidato derrotado agradeceu os votos recebidos e disse esperar ver " uma prefeitura como esta que vimos nos últimos 30 dias" 30/10/2016 às 19:06 - Atualizado em 30/10/2016 às 20:33
Show whatsapp image 2016 10 30 at 18.34.04
Marcelo Ramos deu declarações na sede do PR, ao lado dos aliados na eleição (Foto: Euzivaldo Queiroz)
Janaína Andrade Manaus (AM)

Em coletiva a imprensa, o candidato Marcelo Ramos (PR), que perdeu a eleição para a Prefeitura de Manaus neste domingo, afirmou que deseja sorte ao prefeito reeleito, mas criticou atitudes de Artur durante a campanha e disse que, como pessoa, Artur não merece seu respeito.

"Desejo sorte para o prefeito e espero que ele responda aos anseios da população que o escolheu como prefeito. Mas do ponto de vista pessoal, não consigo fazer nenhum gesto para um homem que jogou minha vida na lama. É um homem que pessoalmente não merece meu respeito", afirmou Marcelo, ressaltando que, politicamente, pretende superar as rusgas com o prefeito. "Acima de qualquer diferença que eu possa ter com ele, existem os interesses do povo de Manaus".

O candidato agradeceu, durante o discurso, o apoio do presidente nacional do PR e ex-prefeito de Manaus, Alfredo Nascimento, do PSD, do senador Omar Aziz e do deputado estadual Josué Neto (candidato a vice de Ramos), DEM, do deputado federal Pauderney Avelino, PRB, de Silas Câmara – terceiro lugar no primeiro turno – PSB, de Serafim Correa e outros partidos menores.

Oposição

Questionado se fará oposição à gestão do tucano, Marcelo afirmou que ‘isso é algo natural no processo democrático’. “Quem ganha eleição, governa. Quem perde a eleição vira um fiscal de quem está governando. Isso é um processo natural e é óbvio que eu vou cumpri-lo”, declarou.

O candidato, com o término da eleição, afirmou que planeja retornar para o cotidiano com a família e ao trabalho de professor universitário, além de se dedicar ao PR, onde ocupa o cargo de presidente municipal. “Meus planos é primeiro retomar um pouquinho a minha vida com a minha esposa, os meus filhos, o meu trabalho como professor universitário, o meu trabalho aqui no PR como presidente municipal, fortalecendo um partido que sai vitorioso deste processo eleitoral, que elegeu quatro vereadores, que se consolidou. Semana que vem já estou retomando a minha vida, semana que vem já estou visitando pessoas, conversando”, contou.

Eleições 2018

Marcelo Ramos declarou que participar da eleição de 2018 é um caminho natural, mas que suas decisões agora serão ‘fruto do diálogo’ com o grupo político formada no pleito municipal. “Agora a minha decisão quanto à eleição de 2018 é diferente das minhas decisões quando eu saí de 2014, por exemplo. Em 2014 eu saí da eleição só. Eu saí de 2014 procurando um caminho para me consolidar em 2016. E graças a Deus e a aos gestos fraternos de algumas lideranças políticas importantes do nosso estado, eu encontrei esse caminho. Agora eu saio como um dos líderes de um grupo político forte e muito consolidado na vida da nossa cidade”, afirmou Ramos.

Avaliação de Alfredo

Para o presidente nacional do PR e ex-prefeito de Manaus, Alfredo Nascimento, Marcelo Ramos teve um ótimo desempenho na campanha. “Enfrentar uma máquina não é fácil. O Artur passou toda campanha parecendo que não era candidato a reeleição. Acho que as pessoas foram muito competentes em esquecer que ele era prefeito há quatro anos e que não cumpriu o que prometeu e que apresentaram o Artur como um candidato novo, de um cidade inteligente, virtual, e eu vou torcer para essa cidade virtual apareça. E se essa cidade receber o tratamento que recebeu nos últimos 30 dias, será um lugar muito melhor para se viver”, avaliou.

Para Alfredo, o PR saiu vitorioso e fortalecido do processo eleitoral. “Nós começamos uma caminhada eu e o Marcelo, sozinhos. E nós chegamos a um resultado onde praticamente metade da população escolheu o Marcelo”, disse Alfredo.

O parlamentar parabenizou a vitória de Artur Neto (PSDB) e declarou torcer para que o candidato tucano realize tudo que prometeu na campanha. “E tomara que seja diferente da campanha anterior (2012), onde em quatro anos não conseguiu cumprir o que prometeu. O resultado da eleição foi legítimo. As pessoas votaram no Artur e ele é o novo prefeito da cidade”, analisou.
Segundo Alfredo, ‘ainda é cedo para falar em 2018’. “Nós estamos saindo de uma eleição agora, 2018 é outra história. Eu e Marcelo conseguimos formar um grupo político que se consolidou para 2018”, concluiu.

Ele destacou, ainda, que o momento é de agradecer pelos votos recebidos e reconhecer a vontade manauara. "O povo é sábio até quando decide contra o que a gente imagina que seja o melhor. E o momento é de desejar que o destino do nosso povo e da nossa gente sejam respeitados e desejo que as máquinas continuem nas ruas amanhã, que os remédios continuem chegando nas UBSs, para testar e ver se haverá uma prefeitura como esta que vimos nos últimos 30 dias",  disse Marcelo, que acusou o prefeito de utilizar a máquina pública de maneira "descarada" para ser reeleito.

Avaliando seu desempenho na eleição, Marcelo disse que se sente um vitorioso pelos 455 mil votos recebidos. "O momento para mim não é de encontrar culpados para a derrota, até porque me considero um homem vitorioso. Chegar aqui aonde eu cheguei é uma vitória".

Publicidade
Publicidade