Publicidade
Eleições
Segundo turno

Hissa Abrahão anuncia que não vai apoiar candidatos no segundo turno das eleições

"Nenhuma das candidaturas que chegou ao segundo turno o fez porque encantou Manaus. Foi porque tinham máquina para chegar", afirmou Hissa 07/10/2016 às 11:05 - Atualizado em 07/10/2016 às 12:42
Show show hissa
Hissa Abrahão (Foto: Michael Dantas/Divulgação)
Lucas Jardim Manaus (AM)

O deputado federal e ex-candidato a prefeito de Manaus Hissa Abrahão (PDT) declarou, nesta sexta-feira (7), que não apoiará nenhuma candidatura no segundo turno da disputa, citando a "contaminação do jogo político" como motivo para sua decisão.

"Nós temos uma gestão atual que, por n motivos ditos na campanha, não atende os anseios da população e nós temos outra candidatura contaminada por escândalos de corrupção, com escândalos na área da saúde pública [...]. Nós não vamos nos envolver em conchavo político", falou Hissa.

Na ocasião, o pdtista fez ressalvas a outros candidatos que não optaram pela neutralidade no segundo turno. "Me causa muita estranheza alguns aliados, seguidamente ao dia da eleição, já estarem anunciando para que lado vão nesse segundo turno. Parecia até que já estavam combinados desde o começo", atirou.

Para Hissa, as mudanças da lei eleitoral acabaram contribuindo para que a população voltasse seus olhos para candidaturas apoiadas por máquinas administrativas. "Se a gente for analisar, as únicas candidaturas que tiveram musculatura para chegar no segundo turno foram as candidaturas de máquinas, de poder, de cargo comissionado, de fornecedor de Prefeitura e de Estado. Foi isso que levou essas candidaturas ao segundo turno e não um sentimento de encantamento, um projeto inovador", disse o ex-candidato.

Hissa comentou que ambas as candidaturas lhe procuraram buscando apoio. Perguntado sobre as propostas dos candidatos, ele disse que tinham sido "propostas comuns". "Apoie a gente para trabalhar junto na Prefeitura, propostas bem semelhantes de integrar os projetos deles", declarou.

'Boa sorte'

O presidente estadual da sigla, Stones Machado, desejou boa sorte a quem quer que chegue à chefia de Executivo local, mas reafirmou que nenhuma das candidaturas contempla as necessidades do município e que o PDT não se identifica com nenhuma delas.

"O prefeito que está hoje aqui parece mais Odorico Paraguaçu, vivendo esse período inteirinho transformando a cidade de Manaus como se fosse uma Sucupira, [...] iludindo a população. Do outro lado, é um jovem, por quem tenho maior respeito, mas a quem ainda falta sustentação, tutano, para sustentar esse projeto", comentou, relacionando Artur Neto ao político da novela "O Bem Amado".

Publicidade
Publicidade