Publicidade
Eleições
SERVIÇO AO ELEITOR

Mais de 50% dos eleitores de Manaus mudaram local de votação; veja o seu

A Justiça Eleitoral se preocupa com o fato de que mudanças podem confundir o eleitor que estava acostumado a votar em uma escola, mas teve o local alterado 01/10/2016 às 08:57 - Atualizado em 01/10/2016 às 09:07
Show urnas12
Urnas começaram a chegar aos locais de votação na tarde desta sexta-feira (Foto: Aguilar Abecassis)
Geraldo Farias e Lucas Jardim Manaus (AM)

Neste domingo, em que 1,2 milhão de eleitores de Manaus decidirá qual será o rumo da administração da capital para os próximos quatro anos, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM) está preocupado com possíveis confusões devido ao recadastramento biométrico, que causou mudanças nos locais de votação de mais de 50% da população da capital. A Justiça Eleitoral se preocupa com o fato de que essas mudanças podem confundir o eleitor que estava acostumado a votar em uma escola, mas teve de mudar.

Esta edição traz a lista completa com os endereços de todas as zonas eleitorais de Manaus. Se o eleitor não sabe em que zona vai votar, pode clicar aqui para ter as devidas orientações. A juíza da propaganda eleitoral de Manaus Careen Fernandes orienta aos eleitores que busquem a confirmação sobre os seus locais de votação para evitar um corre-corre desnecessário no domingo. “Nós estamos esperando o problema com essa questão do rezoneamento. Por razão do recadastramento biométrico, ocorreram muitas mudanças no local de votação de mais de 50% da população. Peço aos eleitores que verifiquem com antecedência seus locais de votação, pois isso pode gerar um tumulto. Se informem antes para na hora não ficar correndo de um lado para outro”, frisou a juíza.

O eleitor que não sabe nem o número de seu título pode consulta seu local de votação no site do TSE digitando apenas seu nome, nome da mãe e data de nascimento. Basta acessar o site do TSE. O site também redireciona o eleitor para o mapa, indicando a localização da escola e também como chegar ao local.

A juíza Careen também orienta quanto à importância de se levar o título de eleitor ou um documento de identificação com foto. “A gente recomenda que o eleitor leve o título ou algum documento de identificação. Isso servirá para identificar mais rápido o nome do eleitor no livro. Se não levar nenhum documento vai dificultar para procurar”, informou.

O eleitor que se esquecer de levar o título ou um documento de identificação não será impedido de votar, pois a biometria identificará o eleitor, mas isso pode causar uma demora no atendimento. Para evitar essa demora, é preciso que o eleitor tenha certeza de sua zona e sessão eleitoral, para mais agilidade no atendimento. “Se não levar nenhum documento, isso não o impedirá de votar, mas levando o título ou um documento vai ajudar e agilizar o processo”, salientou Careen Fernandes.

Como a juíza estará atenta na fiscalização da propaganda eleitoral, ela informa que não será permitido ao eleitor entrar com camisas confeccionadas por candidatos, não será permitido pedir votos e nem distribuir santinhos. O eleitor pode, espontaneamente, levar santinhos como “cola” para lembrar os números dos candidatos.

Transporte gratuito

O transporte de eleitores será gratuito nas linhas normais de ônibus a partir das 4h da madrugada de domingo até as 19h. A partir das 19h01, a passagem será cobrada normalmente. A venda e o consumo de bebidas alcoólicas serão proibidos a partir das 22h de hoje até as 18h de domingo.

Estratégia contra sujeira de candidatos

A um dia do pleito, as juízas da Comissão de Fiscalização da Propaganda Eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), Lídia Frota e Careen Fernandes, voltaram a alertar sobre as consequências legais do derramamento de santinhos, conduta enquadrada tanto como crime eleitoral quanto ambiental pela legislação brasileira.

Em uma coletiva de imprensa realizada ontem, as magistradas, juntamente com diversas autoridades envolvidas na fiscalização das eleições deste ano, afirmaram que, este ano, com o uso das câmeras das escolas, previsto na parceria firmada com a empresa Inn Tecnologia no fim de agosto, punir os responsáveis está muito mais fácil.

Para Marcelo Rezende, superintendente da Polícia Federal, esse passo é muito significativo na coibição do crime. “Você já parte de uma imagem e, a partir do indivíduo ali, você só precisa atribuir a identidade, porque o fato já está demonstrado. Do ponto de vista investigativo, é um avanço incrível. O esforço realmente vai ser a identificação”, explicou.

No total, 431 escolas, abrangendo unidades das redes estadual e municipal, estarão sendo monitoradas e vale lembrar que tanto o candidato beneficiado quanto a pessoa que é efetivamente flagrada praticando o crime são penalizadas pela Justiça.

As autoridades presentes na coletiva lembraram que a prática desse e outros crimes eleitorais pode levar a aplicação de multas e detenção para prestação de esclarecimentos.

Publicidade
Publicidade