Publicidade
Eleições
NÚMEROS

Maraã foi o município do AM que registrou a maior abstenção no primeiro turno

Ao todo 56,4% de um eleitorado de 9.392, o que representa 5.305 eleitores no município 06/08/2017 às 23:10 - Atualizado em 06/08/2017 às 23:13
Show mara
Município de Maraã registrou a maior abstenção do Estado no primeiro turno; mais da metade dos eleitores preferiram não comparecer às sessões eleitorais. Foto: Divulgação
Aristide Furtado Manaus (AM)

Localizado a 681 quilômetros de Manaus, Maraã foi o município do Amazonas que registrou a maior abstenção no primeiro turno da eleição suplementar ocorrida no último domingo (6). Cinquenta e seis vírgula quatro por cento de um eleitorado de 9.392, o que representa 5.305 eleitores.

Em todo o Estado o índice de não comparecimento foi de 24,3%. Percentual superior a ausência registrada na primeira fase da disputa para o governo em 2014, quando a abstenção totalizou 19,4%. Em números absolutos, 133.528 pessoas a mais do que há quatro anos deixaram de exercer o direito ao voto. Naquele pleito 433.813 eleitores não votaram. Este ano esse número subiu para 567.341. 

Em 19 cidades do interior do Estado, a quantidade de eleitores que faltaram foi superior a 40%. Esse foi o caso, por exemplo, de Envira (a 1.215 quilômetros de Manaus) onde 48,5% do eleitorado abriu mão do voto. Número próximo de Ipixuna (a 1.368 quilômetros da capital) que alcançou 48,2% de abstenção. 

A lista de votações esvaziadas também inclui Santa Izabel do Rio Negro (a 631 quilômetros) com 46,8% de abstenção; Barcelos (a 396 quilômetros) com 45,5%; Eirunepé (a 1.245 quilômetros) com 44,4%; São Gabriel da Cachoeira (a 858 quilômetros) com 44,1%; Juruá (a 737 quilômetros) com 43,4%; Pauini (a 935 quilômetros) com 43,7%; Novo Aripuanã (a 115 quilômetros) com 42,1%; Fonte Boa  e Japurá  com 41,7%, cada; e Canutama (40,7%), Guajará (42,9%), Anamã (40%), Lábrea (40,8%), e Urucurituba (40,1%).  

Em Manaus, a taxa de comparecimento foi de 84,5%. De um universo de 1.274.364 eleitores, ontem 1.077.751 compareceram nos locais de votação. A abstenção na capital ficou na casa dos 15,4%. Nos três maiores colégios eleitorais do interior do Amazonas o sumiço do eleitorado oscilou entre 25% a 31,5%. 

Em Parintins, que possui a maior quantidade de pessoas aptas a votar depois de Manaus, a abstenção somou 31,5%. Em Itacoatiara, esse número caiu para 27,9% e em Manacapuru ficou em 25,4%. 

O fato de ser uma eleição fora de época e com curto período de divulgação das candidaturas, se comparada às eleições do calendário normal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), contribuiu para a ausência do eleitorado. As múltiplas decisões da Justiça ora suspendendo ora mantendo o pleito suplementar, acarretando a interrupção da campanha, também  pode ter interferido no comparecimento às urnas, sem contar com o fato de que, nesse período, diferente de outubro, muitas áreas no interior ainda estão sob as águas.  

Publicidade
Publicidade