Publicidade
Eleições
APOIO NACIONAL

Marina Silva chega a Manaus para apoiar a candidatura de Luiz Castro nas ruas

Em um bate-papo com correligionários e jornalistas, a ex-senadora e ex-ministra do meio ambiente reiterou seu total apoio à Operação Lava Jato e criticou grandes partidos brasileiros, ainda que respeitando sua história 22/09/2016 às 12:49 - Atualizado em 22/09/2016 às 17:36
Show whatsapp image 2016 09 22 at 10.38.04
A ex-senadora ainda deverá se reunir com lideranças sociais que atuam na defesa dos direitos de crianças e adolescentes em Manaus (Foto: Aguilar Abecassis)
Lucas Jardim Manaus (AM)

A ex-senadora e ex-ministra do meio ambiente Marina Silva (Rede) veio a Manaus cumprir uma agenda de compromissos eleitorais em apoio ao candidato de sua sigla, Luiz Castro, nas eleições municipais deste ano.

Em um bate-papo com correligionários e jornalistas, realizado no auditório Professor Brito, localizado na avenida André Araújo, bairro Aleixo, Zona Centro-Sul, a política reiterou seu total apoio à Operação Lava Jato, da Polícia Federal, que desencadeou uma série de prisões e suspeições que desestabilizaram o quadro político brasileiro. 

"Antigamente, quem combatia a corrupção era revolucionário. Hoje, quem combate é coxinha? Que história é essa!? Quem combate a corrupção melhora a qualidade da política", declarou, sendo aplaudida.

Ela também fez referências à operação Maus Caminhos, defflagrada nesta segunda-feira e disse “A Polícia Federal está fazendo o seu trabalho, dentro do seu processo normal de investigação. A Rede não tem a pretensão de instrumentalizar o trabalho da PF, porque é um trabalho autônomo e independente”, disse Marina.

Apesar disso, ela destacou os perigos da polarização que tomou conta do país após as revelações da operação. "Ou você está embaixo do guarda-chuva do azul ou você está embaixo do guarda-chuva do vermelho e quem fica fora dos dois guarda-chuvas, vai receber bombardeio feio, porque as pessoas não querem que exista outra coisa. Você só tem a licença política para existir sem ser tutelado pelas grandes forças políticas e o que a Rede está dizendo é que queremos quebrar os velhos paradigmas", explicou Marina.

Eleições locais

Perguntada sobre seu apoio à última candidatura de Marcelo Ramos ao governo do Estado e a possibilidade de apoiá-lo num eventual segundo turno da eleição municipal desse ano, Marina desconversou e afirmou que segundo turno se “discute no segundo turno”, relembrando que esse tinha sido seu posicionamento quando, nas eleições de 2010 e 2014, foi perguntada a mesma coisa. 

“Nós temos um candidato e estamos trabalhando. [...] Eu estou fazendo a campanha do Luiz e tomara que ele continue crescendo 300% por semana, porque assim a gente vai pro segundo mesmo”, disse Marina, referindo-se ao índice de uma pesquisa eleitoral divulgada esta semana que aponta um crescimento expressivo do candidato da coligação Rede-PMN.

Publicidade
Publicidade