Quinta-feira, 12 de Dezembro de 2019
BRIGA JURÍDICA

Mesa Diretora da Assembleia faz pressão sobre Lewandovski por eleição indireta

Deputados querem que ministro reconsidere sua decisão ou submeta a mesma ao plenário do STF já na próxima sessão



ALE.JPG Abdala Fraxe e Platiny Soares são alguns dos que assinam o pedido (Foto: Alberto César Araújo/Aleam)
14/08/2017 às 16:12

A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM) entrou nesta segunda-feira (14) com recurso no Supremo Tribunal Federal pedindo que o ministro Ricardo Lewandowski reconsidere a decisão tomada na semana passada e suspenda o segundo turno da eleição suplementar no Amazonas. 

A Mesa pede também que caso o ministro não reconsidere sua sentença de manter a realização do pleito, leve o caso, com urgência, para o plenário do Supremo Tribunal Federal decidir já na próxima sessão. 



O recurso foi apresentado na Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 464, no Supremo, que contesta a decisão do TSE de convocar eleições diretas no Amazonas, e pede para realizar eleição indireta na qual os 24 deputados escolheriam o novo governador do Estado.

A Casa Legislativa hoje é presidida pelo deputado Abdala Fraxe (PODE), que tentou ser candidato a vice-governador na chapa encabeçada por Rebecca Garcia (PP), mas teve o registro de candidatura indeferido pela Justiça Eleitoral.

Além de Abdala, assinam o agravo regimental com pedido urgente de reconsideração, os outros seis membros da Mesa Diretora: Belarmino Lins (Pros), Josué Neto (PSD), Sabá Reis (PR), Platiny Soares (DEM), Ricardo Nicolau (PSD), Carlos Alberto (PRB) e o procurador-geral da ALE-AM, Vander Góes, o subprocurador-geral, Wagner Oliveira e o procurador Gerson Diogo.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.