Publicidade
Eleições
Pesquisa

Pesquisa Projeta/A CRÍTICA aponta reviravolta na disputa pela prefeitura

Pesquisa indica que Marcelo Ramos é o candidato que mais cresceu na reta final da campanha. Ele venceria Artur Neto no 2º turno com uma vantagem de 3,6% dos votos válidos 30/09/2016 às 09:14 - Atualizado em 30/09/2016 às 09:22
Show kfglkdfjgldfgmldg
De acordo com a segunda pesquisa Projeta/A CRÍTICA, se as eleições fossem hoje, os candidatos Artur Neto (PSDB) e Marcelo Ramos (PR) iriam para o segundo turno
Aristide Furtado Manaus (AM)

A segunda pesquisa de intenção de votos realizada pela Projeta (nome de fantasia da M P Valin) mostra que Marcelo Ramos (PR) é o candidato que mais cresceu na reta final da campanha pela Prefeitura de Manaus e já supera, no segundo turno, o prefeito Artur Neto (PSDB) com uma vantagem de 3,6% dos votos válidos. No limite da margem de erro de 2,5% para mais ou para menos, os dois candidatos aparecem tecnicamente empatados.

De acordo com a sondagem, registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) sob o número AM-06533/2016, na projeção da segunda etapa da eleição o ex-deputado estadual tem 42,4% contra 38,8% do tucano. Votos brancos, nulos e eleitores indecisos totalizam 18,9%. A consulta foi feita na segunda e terça-feira e ouviu mil eleitores. Na primeira pesquisa Projeta, coletada entre os dias 14 e 15 deste mês, a situação se invertia, no segundo turno. Artur estava com 41% e Marcelo apresentava 39%.

A tendência de queda do prefeito no segundo turno é um dos fatores que explica a entrada em cena, no penúltimo dia do horário eleitoral gratuito no rádio e TV, de Eduardo Braga em prol do tucano. Adversário político de Artur até poucos dias antes do fim do prazo das convenções que decidiram as candidaturas, o senador foi mantido à distância da propaganda tucana. Na quarta-feira, contudo, o pemedebista a quem o prefeito atribuía a obstrução de repasses do governo federal para Manaus pediu votos para a chapa Artur/Rotta.

No primeiro turno, na consulta estimulada (quando é apresentada uma lista com os nomes dos candidatos ao entrevistado) Artur se mantém à frente da corrida eleitoral com 34,1%. Apesar de ter crescido 2,2% em comparação com a pesquisa anterior a vantagem dele em relação a Marcelo Ramos que era de 13,1% caiu para 12,1%. O candidato da coligação “Mudança para transformar” foi o que mais ganhou musculatura na última semana de campanha. Saltou de 18,8% para 22%, aumento de 3,2%. Silas Câmara manteve a terceira colocação mas perdeu gordura. Tinha 7,6%. Agora está com 7,2%. Serafim continua na quarta posição. Contudo, também emagreceu. Desceu de 6,7% para 5,9%.

REJEIÇÃOO aumento da rejeição ao candidato Marcelo Ramos demonstra que os ataques de Artur Neto, na propaganda eleitoral gratuita, na TV e no rádio, direcionados ao ex-parlamentar, podem ter provocado desgaste à campanha do PR. Na primeira pesquisa Projeta, 4,8% dos entrevistados disseram que não votariam no ex-deputado. Esse número subiu para 6,2%. Um acréscimo de 1,4%.

Na consulta Projeta, Artur mantém-se no topo do ranking de rejeição com leve incremento. Estava com 29,3%. Hoje está com 29,6%. Serafim, que focou, no horário eleitoral, nas obras de sua gestão, dando ênfase a projetos como a “domingueira”, melhorou sua aceitação. Teve uma queda de 3,8% de insatisfação. Era rejeitado por 24,1%. Número que desceu para 20,3% dos entrevistados. José Ricardo, porém, cresceu nesse ítem. Obteve 3,9% na primeira sondagem. Está com 5,8%. Mesma situação de Hissa, que estava com 3,5% e passou para 5,3%.

Marcelo cresce na classe média

O detalhamento da intenção de votos da segunda pesquisa Projeta mostra que Artur Neto mantém-se à frente dos demais candidatos em todas as faixas etárias e zonas geográficas da cidade. Contudo, em relação à primeira consulta, perdeu a liderança isolada por faixa de renda e escolaridade. Entre os eleitores de classe média, que ganham entre R$ 5,3 mil e R$ 7 mil, o tucano tinha 31%. Caiu para 27,3%. Nesse segmento, Marcelo Ramos obteve 21,3%. Agora subiu para 36,4%. Nos demais níveis de renda, o prefeito mantém-se na dianteira apesar de apresentar leve tendência de queda.

O ex-deputado também quebrou a hegemonia do prefeito entre as pessoas com nível médio completo. Alcançou 16,7% (abaixo dos 20% anteriores) contra 11,1% do adversário. Na primeira consulta, Artur dominava com 34% desse eleitorado. Quando se trata da preferência de quem possui ensino superior o tucano saltou de 26% para 41,5%. Marcelo também avançou de 11% para 20,8%. E quase duplica sua performance entre aqueles que ainda não concluíram a faculdade. Estava com 15,2%, pulou para 27,3%. Também mais que dobrou sua aceitação entre os que têm ensino fundamental incompleto. Foi de 11,4% para 27,7%. Artur e Marcelo cresceram na preferência dos jovens (16 a 24 anos). O primeiro saltou de 27,7% para 33%. O segundo saiu de 22,8% para 27,4%.

Simulações

Na simulação de 2º turno sem Marcelo Ramos, Artur vence os outros candidatos. Contra Silas Câmara, o tucano vence com 47,2% contra 30,7%. Contra Henrique, o escore pró Artur é de 48,5% a 27,3%. Na disputa com Hissa, ele vence com 47,5% contra 29,6%. No confronto com Serafim, ganha com 50% contra 25%. Se o adversário for José Ricardo, o tucano fica com 49% contra 29%.

Publicidade
Publicidade