Publicidade
Eleições
troca de farpas

Primeiro bloco de debate é marcado por críticas à atual gestão; Artur ataca Melo

Assista ao vivo o debate na TV A Crítica, A Crítica Play e também no portal acritica.com 25/09/2016 às 22:35
Show whatsapp image 2016 09 25 at 21.36.31
Candidatos participam de debate na noite deste domingo (Foto: Evandro Seixas)
acritica.com Manaus (AM)

Saúde, Faixa Azul , segurança pública e transporte coletivo   foram alguns dos principais temas debatidos por sete dos candidatos à Prefeitura de Manaus no primeiro bloco do debate da TV A Crítica, realizado na noite deste domingo.

Em sua primeira participação em debates este ano, o prefeito e candidato à  reeleição Artur Neto foi o principal alvo dos seus rivais. Mesmo quando não estava em algum embate direto com algum candidato, ele era citado. Logo na primeira pergunta, feita por Hissa Abrahão a Henrique Oliveira, sobre políticas para os idosos, Henrique afirmou que Artur voltou a ser conhecido como 'prefeito tatu'. "Ele continua sendo o prefeito tatu, porque 'tá tudo pelo metade', 'tá tudo por fazer'", afirmou Henrique.

Questionado por Silas Câmara sobre suas propostas para a segurança pública, Marcelo Ramos criticou os gastos da prefeitura com sistema de vigilância eletrônica para as escolas. "São R$ 60 milhões para um sistema que não funciona. O que protege gente é guarda treinado", afirmou Marcelo, propondo também ocupação de espaços públicos como maneira de combater a insegurança.  Na mesma ocasião, Silas falou em aparelhar a guarda municipal e comprar horas de folga de policiais militares, civis e bombeiros para reforçar o sistema municipal.

José Ricardo questionou Artur sobre a Manaus apresentada nos programas eleitorais, "uma cidade matrix, maquiada", como disse o deputado petista. "De quecidade ele está falando?", questionou. Artur, por sua vez, criticou o governo da presidente Dilma e disse que faltou mais ajuda do governo federal. "Se não fiz mais é porque fui muito perseguido pelo seu partido", afirmou Artur, citando 200 quilômetros de recapeamento e um trabalho de tapa buraco como alguns de seus avanços.  Ele ainda falou que prefere propostas possíveis. "Tem gente que promete tanto que qualquer dia tira o Melo da cartola", falou o prefeito, em clara crítica a Marcelo Ramos.

Quando foi sua vez de perguntar, Ramos questionou Serafim sobre mobilidade urbana e aproveitou a perguntar para criticar a Faixa Azul. "Compraram um rolo, uma lata de tinta e um talão de multa", criticou.

Enquanto Serafim prometeu passar a faixa exclusiva para o lado direito da via, já que 90% dos ônibus possuem portas à direita, Marcelo falou  que espera assumir o governo para acabar com a Faixa Azul em seu primeiro dia de governo.  "Corredor exclusivo dá velocidade ,precisa de planejamento", afirmou Marcelo.

Outro momento de destaque do primeiro bloco foi quando Artur Neto questionou Silas Câmara sobre as descobertas da operação Maus Caminhos, que encontrou rombo de R$ 110 milhões na saúde do Estado. Artur citou nominalmente José Melo e Omar Aziz como governos corruptos. Silas, por sua vez, afirmou que Artur era aliado de ambos até pouco tempo, e criticou a gestão de saúde municipal. O atual prefeito reforçou as críticas. "Eu pensava que haviam parado os serviços porque eram incompetentes, mas não foi. Foi por corrupção".

Publicidade
Publicidade