Publicidade
Eleições
SUPLEMENTAR

‘Teremos pleito tranquilo e transparente’, diz Gilmar Mendes, em Manaus

Presidente do TSE veio a Manaus acompanhar os preparativos para as eleições para governador do Estado, marcadas para 6 de agosto 26/07/2017 às 11:33 - Atualizado em 26/07/2017 às 19:09
Show gilmar
Ministro visitou o depósito das urnas no TRE-AM (Foto: Márcio Silva)
Camila Pereira Manaus (AM)

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Ministro Gilmar Mendes, chegou à sede do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) pouco depois das 9h desta quarta-feira, para iniciar sua visita de verificação à estrutura da eleição suplementar para Governador do Estado, marcada para 6 de agosto.

O ministro, que retorna ainda hoje à Brasília (DF) visitou o depósito das urnas eletrônicas e conversou com a direção do órgão para ficar por dentro dos procedimentos técnicos e logísticos para o dia do pleito.  Antes de conceder entrevista coletiva, ele falou brevemente sobre sua aprovação daquilo que pôde ver.

"Falo da minha satisfação em ver o bom profissionalismo e a atuação conjunta para o bom desenvolvimento das  eleições. Se formos no centro-sul falar do movimento das águas, como no Amazonas, soara um pouco exótico. Temos que estar na região amazônica para saber dessas peculiaridades que exigem esforços singulares. Estou seguro que teremos um pleito tranqüilo e transparente", afirmou ele.

Mendes afirmou que esse também será um teste a respeito da minirreforma eleitoral. "Essa foi uma decisão da Justiça Eleitoral e depois referendada pelo próprio Congresso Nacional, numa minirreforma política. O que pudemos avaliar foi o bom preparo da Justiça Eleitoral, da sua burocracia, dos seus servidores e dirigentes com esse tipo de trabalho. Um verdadeiro mutirão institucional foi realizado e com as peculiaridades do Amazonas, sua dimensão continental, suas dificuldades de deslocamento, logistica especial, tudo está sendo feito de maneira adequeda", afirmou.

Questionado sobre a possibilidade de uma eleição indireta ou um novo cancelamento da eleição direta no Amazonas, o ministro não quis entrar em detalhes. "Em termos de possibilidade jurídica, sim. É evidente que se a matéria depende do julgamento definitivo, por isso que disse que pode ser que tenhamos uma manifestação definitiva do tribunal referendando a liminar do ministro Celso de Melo, encerrando qualquer controversia. Tenho certeza que o tribunal vai dialogar para fazer um encaminhamento para pacificar o tema", destacou. "Não vou ficar falando em hipoteses, mas sempre é possível, mas enquanto há vida, há esperança". 

Segundo o diretor-geral do TRE-AM, Messias Andrade, cerca de 95% de toda a estrutura necessária para a realização das eleições está pronta, restando apenas o envio das forças federais aos municípios do interior, previsto para começar na próxima semana.

Publicidade
Publicidade