Publicidade
Eleições
DECISÃO

TV A Crítica promove debate entre candidatos à prefeitura neste domingo (25)

Confronto de ideias promete ser novamente cheio de emoções e definições para o eleitor indeciso. Transmissão inicia a partir das 21h45 com a apresentação do repórter da Rede Record, Lúcio Sturm 25/09/2016 às 05:53
Show 7879
Há 4 anos, Artur e Vanessa protagonizaram campanha com a candidata acusando o oponente por agressão com ovo (Foto: Bruno Kelly/AC)
Geraldo Farias Manaus (AM)

A TV A Crítica promove, neste domingo (25), debate entre sete candidatos que disputam o cargo à frente da Prefeitura de Manaus. A sete dias das eleições, os candidatos terão a oportunidade de expor seus planos e projetos para a cidade. O debate será exibido a partir das 21h45, logo após o Domingo Espetacular, com a apresentação do repórter da Rede Record, Lúcio Sturm.

Confirmaram presença no debate da TV A Crítica o prefeito Artur Neto (PSDB), Marcelo Ramos (PR), o vice-governador Henrique Oliveira (SDD), os deputados federais Hissa Abrahão (PDT) e Silas Câmara (PRB) e os deputados estaduais José Ricardo (PT) e Serafim Corrêa. O programa terá três blocos, os temas serão livres, com as perguntas sendo feitas entre os candidatos.

O debate da TV A Crítica ocorre a uma semana das eleições do próximo dia 2 de outubro, sendo este um momento crucial em que a população está definindo o seu candidato. A preocupação dos prefeituráveis em garantir votos já levou a revelações polêmicas e delicadas, além da propagação de intrigas antes, durante e depois de debates.

Entre esses registros está o da eleição do ano 2000, em debate realizado pela TV A Crítica, que ficou conhecido como o episódio do ‘tucumã’, em discussão que colocou frente a frente Alfredo Nascimento (PL) que buscava a reeleição e Eduardo Braga (PPS), querendo retornar a prefeitura após ter assumido em 94 com a renúncia de Amazonino Mendes, quando assumiu o Governo do Estado.

Farpas

O assunto do tucumã veio à tona com a briga entre Alfredo e Braga sobre quem era o autor do projeto SOS Manaus, que ambos afirmavam ser o autor. A discussão chegou ao ápice quando Braga disse que Amazonino sabia que ele era o autor e que Alfredo deveria conversar sobre coisas importantes ao invés de ficar levando tucumã para o governador.

“Você talvez não esteja conversando com ele (Amazonino) sobre isso, porque quando você vai lá fica levando tucumã e não vai conversar sobre o que deve conversar”, disparou Braga. Alfredo chamou Braga de desequilibrado. “O rapaz está desequilibrado. Com esse negócio de marionete que eu fico levando tucumã”, respondeu Alfredo. Braga ainda retrucou dizendo que foi levando tucumã que Alfredo conseguiu seus cargos com Amazonino. Mesmo com essa discussão Alfredo foi reeleito.

IPTU de Amazonino

Em 2004, a disputa pela Prefeitura de Manaus estava acirrada entre Serafim Corrêa (PSB) e Amazonino Mendes (PFL). Em debate realizado as vésperas da eleição, Serafim levou documentos comprovando que Amazonino não pagava o IPTU (Imposto Predial e Território Urbano), em uma residência na rua Belo Horizonte.

A dívida do IPTU de Amazonino era de R$ 5 mil. “Ele não tem compromisso em pagar os impostos. Como alguém que não paga IPTU poderá cobrar do restante da população?”, bradou Serafim. Muito nervoso Amazonino disse que a dívida era uma surpresa, pois a residência era onde morava sua esposa e que o problema era da prefeitura. Serafim ironizou: “A prefeitura cobra de todo mundo, só não cobra do Amazonino”.

Ninguém tem certeza se o episódio atrapalhou a campanha de Amazonino, mas Serafim acabou sendo eleito prefeito de Manaus.

A última grande polêmica no pleito de Manaus ficou conhecida como a “farsa do ovo”, que ocorreu em 2012. Antes de participar de um debate a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB) sofreu uma agressão na entrada da emissora de televisão, afirmando que alguém a jogou um ovo em seu rosto. Na época a senadora chegou a afirmar que o autor da ação foi Artur Neto (PSDB), seu principal concorrente no pleito. A coligação de Vanessa chegou a mover ação contra o Artur Neto, mas o processo foi arquivado por não haver comprovação.

Excluídos

A expectativa é que no debate de hoje os projetos essenciais para Manaus seja o principal foco de discussão entre os sete candidatos. Luiz Castro (Rede) e Queiroz (Psol) não participam por motivo de restrições da lei eleitoral.

Publicidade
Publicidade