Publicidade
Eleições
Política

Último debate dos candidatos a prefeito de Manaus é marcado por críticas à atual gestão

Temas como saúde, corrupção e transparência nos gastos públicos tiveram maior destaque no debate 30/09/2016 às 01:22
Show debate
As eleições para vereador e prefeito estão marcadas para este domingo (2). Foto: Antônio Lima
Rafael Seixas Manaus (AM)

O último debate dos candidatos à Prefeitura de Manaus em uma emissora de TV local foi marcado por duras críticas à atual gestão, principalmente no segundo bloco com perguntas de temas livres. O candidato do PR, Marcelo Ramos, citou a contratação por parte da prefeitura da empresa D. de Azevedo Flores, envolvida na Operação “Maus Caminhos”, que investiga um desvio de R$ 110 milhões nos recursos do Fundo Estadual de Saúde do Amazonas.

“Contratou sem licitação a empresa de um preso por mais de R$ 1 milhão, que fazia serviços de telemarketing e de combate ao zika vírus na secretaria (municipal de saúde). As contas da prefeitura foram aprovadas com ressalvas porque é a penúltima no ranking de transparência. Quem não tem transparência, tem o que esconder”, declarou Marcelo Ramos.

Em resposta, Artur Neto (PSDB) explicou que ao ter conhecimento do possível envolvimento da empresa no esquema de corrupção solicitou do secretário municipal de saúde, Homero de Miranda Leão, a imediata quebra de contrato.

Artur Neto disse ainda que os “escândalos de corrupção graçam” no governo do Estado e mais uma vez tentou ligar Marcelo Ramos ao Poder Executivo do Estado. O tucano ressaltou que a empresa investigada na Operação "Maus Caminhos", e que prestava serviços para a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), teve o contrato interrompido. “A corrupção está nas mãos do governo Melo e do governo que o apóia”, disse Artur a Marcelo Ramos.

Os candidatos Marcelo Ramos e José Ricardo (PT) reforçaram que a Prefeitura de Manaus obteve, em quase quatro anos, R$ 5 bilhões a mais em recursos orçamentários do que a gestão anterior [de Amazonino Mendes].

Henrique Oliveira também provocou o tucano e listou diversas promessas feitas na campanha anterior, por Artur Neto, e que não foram cumpridas, especialmente na área de esporte e lazer. O tucano respondeu que não cumpriu as promessas porque algumas delas dependeriam “até de empréstimos no exterior”.

O tema transparência também tomou conta de um dos blocos do debate. Hissa Abrahão (PDT), por exemplo, questionou por que Manaus ocupava a penúltima colocação, entre as capitais, no Ranking Nacional dos Portais da Transparência. O atual prefeito de Manaus, que tenta a reeleição, disse que a atual gestão é transparente, mas deixou detalhes sobre a questão e mudou de assunto.

Além de Artur, Marcelo, José Ricardo, Hissa e Henrique, participaram do debate Silas Câmera (PRB) e Serafim Corrêa (PSB). Luiz Castro (Rede) e Professor Queiroz (Psol) também concorrem ao cargo.

Publicidade
Publicidade