Sábado, 24 de Agosto de 2019
Vida

85 anos do gênio: arquiteto Severiano Porto faz aniversário nesta terça (19)

Afastado atualmente dos esquadros e réguas por problemas de saúde, ele é autor de mais de 220 trabalhos que marcaram a história de Manaus e do Amazonas



1.jpg Severiano foi premiado também pela Pousada da Ilha de Silves (a 203 quilômetros de Manaus)
19/02/2013 às 09:39

A assinatura de Severiano Mário Porto em uma obra arquitetônica contempla um trabalho inaugural ao mesmo tempo moderno e regional na arquitetura brasileira. O arquiteto, nascido em Minas Gerais, mas radicado no Amazonas a partir de 1966, onde passou quase 40 anos, completa nesta terça (19) 85 anos de idade como um dos mais respeitados arquitetos do País, premiado pelas obras com feições regionais, que deveriam ser estudadas pelos que buscam conceitos de sustentabilidade, afirmam alguns especialistas da área.

Afastado atualmente dos esquadros e réguas por problemas de saúde, ele é autor de mais de 220 trabalhos que marcaram a história de Manaus e do Amazonas. Autor de um livro denominado “Poesia na Floresta”, a ser publicado pela Editora da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) no mês de março, o arquiteto Roger Abrahim aponta as preciosidades da arquitetura de Severiano que, em 1965, quando ainda nem morava no Amazonas, foi premiado com a “Menção Honrosa” pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB). Trata-se do Estádio Vivaldo Lima, que foi definido como “solução simples, conduzida corretamente, integrada ao sítio e bem de acordo com a escala do problema”.

Severiano foi premiado também pela Pousada da Ilha de Silves (a 203 quilômetros de Manaus), a respeito da qual pontuou o júri na época: “É raro o prazer de admirar uma arquitetura tão bem realizada, com tal integração material, linguagem, criatividade e resultado, onde se vê o domínio do arquiteto sobre o material, e uma linguagem coerente com a Amazônia desvinculada de estereótipos”.

Nélson Peixoto, diretor das Aldeias Infantis SOS, cuja sede foi construída por Severiano em 1994, acompanhou o processo de idealização das casas, no bairro Alvorada, Zona Centro-Oeste, destinado a abrigar crianças que perderam o vínculo familiar. Severiano ia para o terreno das Aldeias observar a posição dos ventos para definir o lugar das janelas e inovou ao desenhar uma aldeia, na mitologia dos índios tucanos, protegidas por uma serpente que vai dobrando entre as casas-abrigos. “Essa serpente é a avó do mundo, de onde nascem os guerreiros. Isso sinaliza que as crianças abrigadas aqui farão um mundo mais solidário, como é nosso ideal”, finalizou Peixoto.

Exposição

Gilda Porto, esposa de Severiano, revelou, do Rio de Janeiro, que estava sendo organizada uma exposição itinerante com o objetivo de mostrar os trabalhos dele em São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Paraná.

Pontos

Obras premiadas

As obras mais características da criatividade do arquiteto na utilização de recursos regionais foram todas premiadas;

Entre estas estão a obra da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), o projeto da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) ,a residência do Sr. Robert Schuster, plantada no meio da floresta do bairro do Tarumã; 

Desta última, Roger Abrahim tem o projeto com os primeiros traços do arquiteto, que a desenhou para ficar escondida em meio à vegetação.

A Pousada na Ilha de Silves foi premiada internacionalmente na Argentina, na Bienal de Arquitetura de Buenos Aires. Outros prêmios vieram, com o Fórum Henock Reis e a sede da Sepror.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.