Sexta-feira, 27 de Novembro de 2020
Reflexão

A música como conforto no período de pandemia

Enquanto o recurso é um aliado das pessoas no isolamento, músicos profissionais refletem os desafios do período



b0121-5r_F9E164BB-83FA-45DA-9B33-8E22639B022B.jpg Benefícios da música são comprovados cientificamente (Foto: Reprodução)
22/11/2020 às 13:26

Sentimentos de medo, ansiedade, impotência e preocupação foram alguns dos que mais acometeram as pessoas durante a pandemia do novo coronavírus. Tais sintomas e estados foram gerados a partir dos temores e do isolamento social, que inibiu contatos físicos tão importantes para a manutenção emocional, como beijos e abraços. Diante das privações, a dica mais presente nos “manuais de sobrevivência” postados na Internet é tentar encontrar alento em atividades e elementos dentro de casa. E um dos que mais “salvam” as pessoas neste momento de limitações é a música, que, individualmente, proporciona acesso às boas lembranças e viagens “sem sair do lugar”.

A professora Juliana Soares, 26, alega ter sido ajudada, em diversos momentos, pela música. “Eu tinha uma playlist para cada estado de espírito. Costumava ouvir pra me animar e até tentei aprender a dançar. Eu amo ouvir rock clássico, então em momentos para distração colocava a minha melhor playlist só com as favoritas tocando para me animar. Usei até músicas de meditação quando queria dormir e não conseguia, ou quando estava ansiosa. Foi realmente um recurso que me ajudou muito a manter o equilíbrio nesse momento tão difícil que enfrentamos”, pondera. 



Já a publicitária Nathalya Brandão, 25, admite que, por conta da auto pressão e da pressão do mundo externo, ela aproveitou para regressar às lembranças do passado. “Não estava muito por dentro dos lançamentos musicais, mas fiquei ouvindo muitas músicas nostálgicas, coisas da adolescência, que me fazem bem. Gosto muito de musicais, então passava um bom tempo pesquisando sobre eles, vendo vídeos no Youtube. Isso me ajudou a distrair quando eu precisava de tempo para resgatar coisas boas”, pontua ela.

O outro lado

A música conseguiu alimentar a mente das pessoas durante a pandemia com coisas boas, e também provou o quanto sua importância é gigantesca à sociedade. Mas, mesmo com os inúmeros benefícios que a música proporciona, a categoria dos músicos foi uma das mais afetadas com os efeitos do covid-19. Os shows reduziram e as dificuldades surgiram.

“Antes da chegada da pandemia, tínhamos dois shows marcados para o mês de abril. Acredito que a paralisação das atividades dos locais que recebem música ao vivo, casas de show, bares, restaurantes, eventos em geral, foi o que mais atingiu a classe, afetando assim a principal fonte de renda de muitos”, destaca o músico Yago Reis, 25. 

“De repente tivemos que mudar nossos hábitos sociais, ficar isolados e sem poder trabalhar. É óbvio que proteger a saúde de todos é fundamental. Mas nem todo mundo assimilou bem tamanha mudança. Tudo parou e a renda que entrava, para muitos músicos, semanalmente acabou não rolando e as contas foram se acumulando e isso afeta o psicológico de qualquer um. Isso de certo modo, evidenciou a fragilidade do trabalho com a arte”, complementa a cantora Kely Guimarães, 33.

Benefícios comprovados

Segundo a psicóloga e neuropsicopedagoga Socorro Carvalho, 50, o estudo das neurociências comprova que a música tem o poder de mexer com nossa mente e, portanto, deve ser vista como um recurso terapêutico potencial, sobretudo em casos de pessoas que apresentam desconfortos emocionais, como isolamento social, depressão e ansiedade. “Na pandemia é comum a eclosão desses desconfortos para muitas pessoas”, justifica ela. 

A especialista aponta que são muitas as áreas cerebrais ativadas a partir de uma música, como a comunicação e linguagem, memória, emoções, sistema motor, auditivo, entre outros. “O indivíduo, ao entrar em contato com uma música agradável para ele, de imediato induz ao movimento e à comunicação, cantando e dançando o despertar de vínculos afetivos através das memórias ende experiências vivenciadas”, finaliza.

Números

449 propostas foram inscritas no edital  “Prêmio Feliciano Lana”, na categoria “Música”. O edital integra as ações emergenciais da Lei nº 14.017 – a Lei Aldir Blanc, responsável pelo repasse de mais de R$ 38 milhões ao estado do Amazonas para fomentar o setor da cadeia produtiva da cultura durante a pandemia.

Música oficial

Para dar apoio e visibilidade aos músicos neste período de pandemia, A CRÍTICA fará um concurso para escolher a música oficial do Peladão, torneio de futebol amador realizado há 48 anos. Para participar, o artista deve enviar música de qualquer ritmo, de composição individual ou coletiva, com até três minutos para o email musicadopeladao@acritica.com. Para conferir o regulamento, clique aqui.

 

Subeditora de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.