Publicidade
Entretenimento
Vida

A produção de Isabella Thiago de Mello

Produtora de cinema filha de Thiago de Mello traz um documentário e inicia outro sobrenome de talento 28/10/2013 às 08:47
Show 1
O poeta Thiago de Mello é um dos expoentes culturais do Amazonas. Dentre muitas obras de peso, é autor do conhecidíssimo “Estatutos do Homem”
Loyana Camelo ---

Isabella Thiago de Mello nasceu no Chile, foi naturalizada brasileira em Manaus e hoje mora no Rio de Janeiro. Como o nome mesmo entrega, é filha de Thiago de Mello, poeta amazonense que dispensa apresentações. Com o talento para artes correndo em suas veias, Isabella está de volta à capital baré para prestar uma dupla homenagem: a primeira, por meio da figura do pai, com o inédito documentário “Thiago de Mello 70 anos de Amazônia”; e a segunda, ainda em fase inicial, através de pesquisas e estudos para compor o projeto “As Antigas Civilizações Amazônicas” assinado por ela e Tuinho Schwartz, em parceria com o Instituto Thiago de Mello e Instituto Terra de Preservação Ambiental.

Em “Thiago de Mello & Amazônia”, Isabella preocupou-se em retratar a vida e obra do pai de forma atenciosa, como só uma filha poderia fazer. “Sempre quis contar a história dele”, afirma. O documentário foi dirigido por Carlos Frederico Castello Branco (Calico), produzido por Isabella e Guapuruvu Filmes e será entregue nas mãos do prefeito Arthur Virgílio Neto com o objetivo de ser distribuído nas escolas públicas.

Mas além de procurar matar a saudade da família, comer tucumã, tambaqui assado e mingau de banana verde, a produtora de cinema tem um propósito importante nesta vinda para Manaus. Ela iniciou as pesquisas para seu próximo roteiro “As Antigas Civilizações Amazônicas”, conduzindo uma série de entrevistas com Fred Cruz, Stevenson Roland, Otoni Mesquita, Antônio Loureiro, além de debruçar-se sobre obras dos consagrados Antônio José Souto Loureiro, Márcio Souza, Samuel Benchimol, Agnello Bitencourt, Arthur Cezar Ferreira Reis, Ednea Dias, Etelvina Garcia, Fernando Collyer, Mário Ipiranga Monteiro, José Ribamar Bessa Freire e do próprio Otoni Mesquita.

“Modéstia à parte, essa é a fase que eu mais gosto de fazer: estudar, pesquisar, fazer roteiro. Saio de Manaus muito entusiasmada e com uma ótima base de historiadores”, aponta.

De acordo com a filha do poeta, o roteiro de “As Antigas Civilizações Amazônicas” deve ser fechado até o encerramento de 2013. As filmagens iniciam em 2014 e o produto final entregue no início de 2015.

História contínua

Envolvido politicamente com a preservação da floresta, o fim da injustiça social e a integração cultural e econômica da América Latina, Thiago de Mello tem uma vida que se confunde com o trabalho. Por isso, Isabella acredita que os documentários retratam histórias contínuas.

“O primeiro é documentário sobre um pai. E o próximo é de certa forma uma continuação, pois ele é um dos maiores símbolos da Amazônia. Uma vez escutei de um historiador, que era meio ‘tiete’ do meu pai, dizendo que depois de o macaco ter descido da árvore, Thiago de Mello era o humanídeo mais importante da floresta amazônica. E ele é um ser amazônico aonde quer que ele vá”.

Publicidade
Publicidade