Domingo, 19 de Maio de 2019
CINEMA

Filme que narra vida de Allan Kardec estreia nas telonas no próximo dia 16

Público conhecerá um novo lado de um dos maiores pensadores do espiritismo



3882_cao101-jpg_52975E9B-8CD1-4372-B9EF-D4D5009F7FB7.jpg
Filme brasileiro é baseado na cinebiografia escrita por Marcel Souto Maior. (Fotos: Divulgação)
14/05/2019 às 10:57

No próximo dia 16 de maio estreia nos cinemas brasileiros o tão aguardado filme “Kardec”, baseado na cinebiografia escrita por Marcel Souto Maior, que também está sendo relançada pela editora Record. O filme conta a história do maior codificador do espiritismo no mundo e apresenta a história real de Kardec por trás do grande nome. 

“As pessoas vão ao cinema para ver boas histórias e, quando bem contadas, elas são sempre atraentes. A história de Kardec é maravilhosa, poderosa e de transformação, por isso ela nos atraiu desde o início. Nós estamos procurando contar uma boa história de época, que fala do passado e que hoje se mostra extremamente atual para os dias em que vivemos, ou seja, o passado projetando o futuro”, disse Wagner Assis, diretor do filme. 

Curiosidades como o fato dele não ser médium, como a maioria pensa, mas um homem da ciência que foi “desafiado” a pesquisar sobre os fenômenos e seus desdobramentos, acabando assim por criar os fundamentos do espiritismo, são um dos pontos mais focados do filme. 

Coisa séria

Wagner de Assis tem como um dos auges da carreira a direção do longa “Nosso Lar”, e o filme de Kardec conta com um elenco de peso. Leonardo Medeiros é Allan Kardec e Sandra Corveloni (vencedora do prêmio de Melhor Atriz no Festival de Cannes) vive sua esposa, Amélie-Gabrielle Boudet. A produção é da Conspiração, conhecida pelos filmes: “2 Filhos de Francisco”, “Gonzaga – de Pai Pra Filho”, “Lope” e a distribuição da Sony Pictures Entertainment. O roteiro é de L.G. Bayão, que se destacou em “Irmã Dulce”, “Heleno” e “Minha Fama de Mau”.

“Sempre o elenco faz diferença nas filmagens, porque se não tiver verdade sendo passada na tela, não existe nada. Nessas horas faz toda a diferença, e ter o Leonardo e a Sandra trabalhando juntos pela primeira vez e parece que são parceiros de longas décadas, eventualmente vidas, quem sabe? (risos) Então, temos que contar a história juntos, por isso sou muito grato por todas as pessoas envolvidas com a gente”, comentou o diretor.

Perguntas Para Wagner Assis, diretor 

Grande parte das cenas foram gravadas em Paris, como foi a experiência? 

"Um dos maiores desafios do filme é fazer um filme de época, principalmente em uma Paris que nem existe mais. Então pra gente era fundamental ter o respiro da cidade, filmar lá foi um esforço maravilhoso de produção. Tivemos que mexer digitalmente em vários lugares para apagar a modernidade, mas estar ali, perto das ruínas foi fundamental, nos ajudou muito a contar a história".

O que a oportunidade de contar uma trajetória como a de Kardec marcou em sua vida?

"Nenhum filme deixa a gente sem um aprendizado. Cinema não é simples, a gente se transforma sempre. Pra mim é muito mais uma humildade e um entendimento da importância desse personagem para tratá-lo da forma mais humana possível. A tentativa foi aproximar o Kardec da gente, dizer que toda sua história de vida é algo que nos permitem pensar em nossas vidas e nos questionar nosso caminho na Terra. Lembrar de seus ensinamentos mais clássicos para mim foi fundamental, agradeço todos os dias".

Você considera o filme voltado apenas aos espíritas? 

"Não considero. Na verdade ele foi concebido e pensado para todas as pessoas, até para quem já conhece a doutrina. Ainda temos muita novidade de uma certa maneira, estamos tridimensionalizando emoções e sentimentos que os livros acabam não conseguindo com tanta eficácia por fazer um outro tipo de trabalho. Contribuímos dessa forma, mostrando o ser humano acima de qualquer religião, passando por uma transformação, e isso é universal. Quem não conhece vai destruir muitos preconceitos ao Kardec e quem já conhece vai se aproximar ainda mais"

Sinopse de 'Kardec'

Leonardo Medeiros é o protagonista Hyppolite Léon Denizard Rivail - reconhecido depois como Allan Kardec -, o educador francês nascido em 1804 que codificou o espiritismo a partir de 1857. O longa acompanha a trajetória de Kardec desde o período em que atuava como educador, passando pela investigação dos fenômenos, pelo processo de codificação da doutrina espírita, até a publicação e repercussão de “O Livro dos Espíritos”.

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.