Publicidade
Entretenimento
Vida

Adeus ao ronco: aparelho combate o sintoma da apneia do sono

Há um leque de tratamentos para enfrentar o problema, incluindo exercícios fonoaudiológicos e cirurgia de avanço maxilomandibular, mas o mais eficaz e utilizado é o uso do aparelho CPAP 05/12/2015 às 18:20
Show 1
Luciane Andrade e Renata Mansur são pioneiras em Manaus
Artur Cesar Manaus (AM)

Minha mãe sempre me dizia quando eu saia à noite para uma festa e no outro dia ficava sonolento pelos cantos, sem disposição para nada: “Quem um dia vai pra festa, dois dias não presta”. Era uma forma de ela dizer que a noite mal dormida fora prejudicial. Fazendo uma comparação, quem sofre de apneia do sono é um eterno baladeiro. O pior, muitas pessoas têm o problema, mas podem nem saber disso. Um dos principais sintomas desse mal, contudo, é bem perceptível para quem tem que dividir o mesmo espaço que você na hora de dormir: o ronco.

Segundo a literatura médica, “apneia” significa literalmente “sem ar” ou “parar de respirar”. Além do ronco, outros sintomas poder ser percebidos, como cansaço constante, dificuldade de concentração, dores de cabeça matinais, humor depressivo, suores noturnos, ganho de peso, falta de energia, esquecimento, disfunção sexual e micção frequente à noite (você passa a ir muito ao banheiro).  

Isso pode estar associado a problemas sérios de saúde, que precisam de atenção redobrada, como diabetes tipo 2,  insuficiência cardíaca e hipertensão arterial. Por isso, é importante ficar em alerta. O primeiro passo a tomar é reconhecer os seus sintomas, procurar ajuda médica e fazer o  exame de polissonografia (aquele que você precisa dormir na clínica com sensores fixados na superfície do corpo) para saber o grau de sua apneia e qual o melhor tratamento.

Padrão-ouro

Há um leque de tratamentos para enfrentar o problema, incluindo exercícios fonoaudiológicos e cirurgia de avanço maxilomandibular, mas o mais eficaz e utilizado é o uso do aparelho CPAP - uma sigla que vem do inglês Continuous Positive Airway Pressure, ou seja, pressão positiva contínua em vias aéreas.

O CPAP consiste em um pequeno aparelho compressor de ar muito silencioso de alta tecnologia que se conecta, através de um circuito flexível, a uma máscara ajustada ao nariz ou nariz e boca do paciente. Este aparelho previne a obstrução da garganta durante o sono e reestabelece o sono normal ao indivíduo.

E o melhor: o aparelho também corrige o ronco. Uma ótima notícia para quem divide a cama com você.  O CPAP gera uma espécie de “colchão” de ar na garganta que impede que as estruturas daquela região se aproximem umas das outras, impedindo o seu estreitamento ou obstrução. Dessa forma, o CPAP impede o ronco desde o primeiro momento de uso, mesmo nos casos mais graves ou durante o sono profundo, desde que seja bem calibrado por médico ou equipe especializada.

Exclusividade

Em Manaus, a Clínica Sonoar - das fisioterapeutas Luciane Andrade e Renata Mansur - é pioneira e trabalha com exclusividade a venda e locação de CPAP’s. Elas explicam que o acompanhamento especializado é de extrema importância para um resultado positivo do tratamento. 

A escolha correta da máscara representa 80% do processo de adaptação do uso do aparelho. Para isso é levado em consideração a anatomia do rosto de cada paciente. Cada CPAP vem com um cartão de memória, que é analisado pelas profissionais periodicamente. Nele há informações como o índice de apneia do indivíduo. A partir dos dados obtidos, novos ajustes podem ser feitos.

Busca rápida

A gravidade do caso pode ser medida pelo índice de apneia e hipopneia (IAH). Sua pontuação indica o número de apneias e hipopneias por hora que a pessoa tem durante o sono. Isso é obtido por meio do exame de polissonografia. Normal é menos de 5, Leve é de 5 a 15, Moderado de 15 a 30, e Grave mais de 30.

Saiba +

O CPAP utiliza o ar ambiente, ou seja, o mesmo ar que respiramos, pois sua única finalidade é manter a garganta aberta para permitir a adequada passagem do ar durante o sono.

Casos de sucesso

O tecnólogo Douglas Diego, 31, sempre foi um atleta. Mais novo, mesmo praticando esporte periodicamente, achava que não estava rendendo em suas atividades, vivia estressado, com pressão alta. Sua esposa também sofria com seu ronco, que, segundo ele mesmo, piorava quando ingeria bebida alcoólica. 

Depois de conversar com um professor decidiu fazer o exame de polissonografia. Foi quando descobriu que tinha um índice de apneia grave. Lhe foi sugerido o uso do CPAP. A partir daí, ele conta ter sentido uma melhora na qualidade de vida. “Fiquei mais disposto durante o dia e consegui controlar minha pressão arterial”, conta o paciente da Sonoar. 

Outro que não abre mais mão de seu aparelho é o advogado Paulo Chicharo, 60. “Levo para todo o lugar quando viajo. Não ocupa espaço”, declara. “Passei a ter uma melhor qualidade do sono, sem interrupção. No início é desconfortável, realmente, mas é preciso a assistência técnica e o acompanhamento das profissionais nesse período de adaptação”, recomenda o advogado.

Serviço

Endereço: Rua Dr. Thomas, 115, Sala 06, 2ª andar, N. Sª das Graças
Telefones: 98113-7065 / 99211-3020
E-mail: contato@sonosoar.com
Site: www.sonosonoar.com

Publicidade
Publicidade