Publicidade
Entretenimento
NOVO MOMENTO

Alaídenegão celebra dez anos de carreira com novidades e tour em São Paulo

Na semana do feriadão, em setembro, banda faz dois shows em território paulista dividindo o palco com nomes como Tiê e Maglore, entre outros 29/08/2018 às 11:34
Show dsc 7950 5e25a94b 5f91 41eb b5d8 b1a0de06e2bb
(Foto: Michael Dantas / Divulgação)
acritica.com Manaus

Em 2018, quando celebra dez anos de estrada, a Alaídenegão esbanja maturidade musical numa fase que traz composições novas, uma agenda de shows especiais, produções próprias e circulação nacional. No dia 4 de setembro, a banda amazonense embarca para São Paulo, onde, no dia 6, vai participar da estreia do SPAM, projeto com a proposta de intercâmbio entre os artistas em destaque no circuito independente; e, no dia 7, da quarta edição do Vento Festival, que movimenta o Centro Histórico de São Sebastião, no litoral paulista.   

Em Manaus, a lista de compromissos começa nesta sexta-feira, 31 de agosto, no aniversário da banda Cabocrioulo, no Fast Temaki Parque Dez. No domingo, 2 de setembro, a Alaídenegão sobe ao palco Praça dos Ingleses, a partir das 17h20, na programação do Passo a Paço.

Os músicos abrem o show “O Grande Encontro”, de Alceu Valença, Elba Ramalho e Geraldo Azevedo, pela segunda vez.

“Há um ano a banda foi convidada para dividir o palco com o Grande Encontro e, agora, estaremos mais uma vez com os ídolos que exercem influência no nosso trabalho, é um privilégio”, comenta Davi Escobar, vocalista e guitarrista do grupo.  

O músico destaca que, no lançamento do SPAM, na Estrella Galícia Estação Rio Verde, a Alaídenegão vai fazer dobradinha com a Mil Pássaros Dançando, banda da capital paulista que mistura influências psicodélicas com ritmos regionais enquanto, no Vento Festival, o line-up tem nomes como Tiê, Maglore, Doralyce, Luísa e os Alquimistas, Nômade Orquestra, Bixiga 70, Garotas Suecas, entre outros.

“Essas experiências fazem a nossa conexão fora de Manaus, nos ajudam a construir pontes para escoar nossos produtos, a nossa banda para o Sudeste e outras regiões. E tem a volta, que é trazer artistas parceiros para os eventos do Cauxi e fazer esse link entre Manaus e outros Estados do Brasil”, pontua Davi. “Além de enriquecer toda a questão de produção, novos contatos de produtoras, novas distribuidoras, fornecedores, sempre dá um novo olhar para o nosso trabalho”.

Sobre a volta para Manaus, Davi adianta que a banda tem mais dois encontros marcados em setembro com o público local: dia 22, no Abaré Sup, no Tarumã; e, dia 28, no Espaço Cultural Curupira Mãe do Mato, no Centro.

Em estúdio

O guitarrista Rafael Ângelo conta que o quarteto, formado ainda por Markito Rock (trompete) e Anastácio Jr. (bateria), está com duas músicas saindo do forno.

“Estamos trabalhando sobre os ritmos samba, cumbia e carimbó, mostrando o ecletismo nas canções”, diz Rafael. “No processo de composição, todos contribuem, essa foi a marca do nosso último trabalho. É o que impulsiona novas produções”.

Saiba mais

Em julho deste ano, a Alaídenegão participou da série “Encontro das Águas”, que tem a proposta de unir o sinfônico ao popular e contemporâneo. No espetáculo “Amassunu”, a banda dividiu o palco do Teatro Amazonas com a Orquestra Amazonas Filarmônica e apresentou a autoral “A Rabeta” e uma releitura de “Banzeiro”, clássico do grupo Raízes Caboclas.

Publicidade
Publicidade