Publicidade
Entretenimento
Vida

Alerta aos pais: saiba como identificar armadilhas dentro de casa

Acidentes domésticos, que fizeram aumentar a demanda por internações, estão entre as principais causas de mortes de crianças 06/09/2014 às 17:19
Show 1
Na casa da administradora Caroline Queiroz Ribeiro, todo cuidado é pouco com a pequena Ana Clara Queiroz, de 8 anos
Perla Soares ---

Toda atenção é pouca quando o assunto são os cuidados a serem tomados a fim de se evitarem acidentes domésticos com crianças. Não deixar os pequenos sozinhos é a primeira e principal recomendação do pediatra Gastão Dias, do Departamento de Prevenção a Acidentes e Violência da Sociedade Amazonense de Pediatria (SAP), que lembra que as causas externas já são as principais causadoras de mortes de crianças.

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) registrou um aumento de 21% das internações de menores de 10 anos, entre 2011 e 2013, em Manaus, por causas externas, entre as quais acidentes e violência. Até junho do ano passado, haviam sido internadas 336 crianças nessa faixa etária, de acordo com o Sistema de Informações Hospitalares do Ministério da Saúde (SIH/MS).

O pediatra Gastão Dias alerta para a necessidade de ter um adulto vigilante, sempre próximo à criança, para evitar surpresas desagradáveis, uma vez que os ambientes estão cercados de “armadilhas” ao alcance das crianças. Segundo ele, normas nacionais criadas para aumentar a segurança de vidros de medicamentos, por exemplo, ajudou a reduzir o número de acidentes com a ingestão de remédios. Mas, nem por isso, os adultos podem baixar a guarda. “Medicamentos e produtos de limpeza devem ser guardados em locais não acessíveis”, recomenda o médico.

Cuidado redobrado

O cuidado deve ser redobrado até mesmo na hora do lazer, alerta o médico, que recomenda o uso de equipamentos de proteção para as crianças, ao andar de skates e bicicletas. “Os pais têm que comprar esses brinquedos com um capacete, por exemplo”, afirma Gastão, lembrando que, com a proteção adequada, a queda terá menores consequências. Nas ruas, principalmente na travessia de vias, a recomendação é a mesma: nunca deixá-las sozinhas.

Para a administradora Caroline Angel Queiroz Ribeiro, 28, mãe de Ana Clara Queiroz, 8, conforme as crianças vão crescendo, as preocupações, perigos e cuidados vão mudando. “Quando a Clarinha era bem menor, o maior cuidado era com as tomadas. Hoje tenho que deixar o material de limpeza no lugar certo, não deixo a botija de gás ligada, a panela sempre com as alças viradas para o lado de dentro do fogão”, disse.

Caroline ainda lembrou que as crianças são curiosas. “Hoje Clarinha alcança objetos que estão em lugares bem mais altos, e não posso me descuidar nem um pouco dela, porque a curiosidade também cresceu junto”, brincou.

Em números: 21% foi quanto aumentou o número de internações de menores de 10 anos, entre 2011 e 2013, em Manaus, por causas externas, entre as quais acidentes e violência, segundo a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). Até junho do ano passado, haviam sido internadas 336 crianças nessa faixa etária, de acordo com o Sistema de Informações Hospitalares do Ministério da Saúde (SIH/MS).

Acidentes mais comuns e como evitá-los:

Queda de escada - No caso das escadas móveis, devem ser colocadas sempre em uma superfície plana e não escorregadia. Se a escada for fixa, não encere e mantenha a mesma seca. Tendo crianças menores de 3 anos em casa, o ideal é instalar grades para evitar quedas.

Queimadura com panelas (frituras, água quente) - Mantenha crianças afastadas do fogão e os cabos das panelas voltados para dentro. Nunca deixe uma criança sozinha na cozinha, enquanto o fogão estiver aceso. Quedas no banheiro - coloque tapetes anti-derrapantes no chuveiro e um tapete atoalhando fora do box, evite tapetes de enfeites que sejam escorregadios.

Mordidas de cachorro - Adestre seu cão e eduque as crianças. Mantenha os animais com as vacinas atualizadas.


Publicidade
Publicidade