Segunda-feira, 22 de Julho de 2019
televisão

Alfie Allen, o Theon da série 'Game of Thrones', é marinheiro por um dia

O ator de 29 anos interpreta Theon Greyjoy, de uma tradicional linhagem de marinheiros e um dos personagens que sofreu um bocado ao longo do seriado. Porém, não se viu muito da habilidade dos Greyjoy quando Allen esteve em Nova York para participar das corridas-treino para a America's Cup



theon.jpg Foto: Benjamin Norman/The New York Times

Em "Game of Thrones", a Casa Greyjoy é um clã de piratas, um bando açoitado pelas tempestades e muito mal-humorado até mesmo para o padrão sombrio da série de sucesso da HBO.

Alfie Allen, 29 anos, interpreta Theon Greyjoy, um dos personagens favoritos dos fãs que sofreu um bocado ao longo do seriado, já na sexta temporada: foi sequestrado e castrado, trocou de lado e está prestes a voltar ao seu castelo ancestral, onde um confronto com a irmã o aguarda.

Porém, não se viu muito da habilidade dos Greyjoy em uma sexta-feira recente, quando Allen, londrino da gema e dono de um charme quase infantil, esteve em Nova York para participar das corridas-treino para a America's Cup do ano que vem.

"Não sou marinheiro experiente", revelou depois de engrossar, por pouco tempo, a equipe britânica, oficialmente conhecida como Land Rover Ben Ainslie Racing. Foi o sexto homem, posição inócua que poderia muito bem ser chamada de "lastro de celebridade".

"É preciso uma pessoa sentada naquele lugar, o centro de popa", explicou, mais tarde, já no restaurante do Conrad Hotel, em Battery Park City, perto do ancoradouro da equipe na Marina North Cove.

Allen, que tem uma constituição esbelta, cabelos claros e olhos azuis penetrantes, pesa, segundo ele mesmo, "66,7 kg", ou seja, dois terços dos 100 kg que o sexto homem deve ter. O resto foi compensado por pesos.

"Não tinha que fazer muita coisa. Foi só deitar na parte de trás e ficar de olho no que os outros estão fazendo. Ben Ainslie, (um dos marinheiros ingleses oficiais) é muito gente boa. Eles não podem conversar enquanto estão no barco, mas acabamos batendo um papo. E também não podem falar palavrão."

"Mas eu xinguei", confessa. O dia estava frio e úmido, condições bem familiares a Allen graças às filmagens na Irlanda do Norte.

"Dá para dizer que 'Game of Thrones' meio que me preparou para esse tipo de coisa porque a HBO gosta de deixar tudo real. Quando você me vê dormindo com os cães é porque estou lá mesmo, com os animais, na terra. Com certeza, às vezes é supergelado."

Allen muitas vezes é retratado pelos jornais britânicos como um jovem festeiro, mas naquela noite seu comportamento foi exemplar; ele ficou só no chá, mesmo quando os três membros do seu séquito (alguns dos quais já estavam em serviço, na intempérie, há doze horas) passaram para as bebidas mais fortes.

"Peguei um Malbec para você", disse à empresária, solícito, quando ela ameaçou pedir outro copo do que estava bebendo.

"Ela está bebendo Malbec? Adoraria um copo", disse um assessor de imprensa com cara de cansado.

Allen, que estava vestindo (bem) um paletó sem lapela da John Varvatos, um par de Air Force 1 da Nike imaculadamente branco e uma camiseta da exposição póstuma de Mike Kelley no Museu de Arte Contemporânea de Los Angeles, continuou bebendo seu chá, em um ato ligeiramente forçado para ressaltar a inocência de menino.

Allen cresceu entre artistas, músicos e cineastas; seu pai é ator, a mãe, produtora de cinema, e a irmã, a cantora pop Lily Allen.

"Durante muitos anos, o Joe (Strummer) foi só um amigo do meu pai; quando eu tinha uns doze, treze anos é que me toquei que ele era o vocalista de uma banda chamada The Clash."

A estreia de Allen na cultura popular aconteceu há dez anos, como tema de uma das canções do primeiro álbum da irmã, "Alfie", que o retratava como um adolescente maconheiro sem futuro que precisava urgentemente de uma intervenção. "Não posso cruzar os braços e vê-lo desperdiçar a vida/Você tem que arrumar um emprego porque as contas precisam ser pagas", Lily cantou em seu estilo alto-astral e animadinho.

"A música nasceu do amor que ela sente por mim. Eu estava no Canadá, tentando me qualificar para ser instrutor infantil de snowboard quando foi lançada. Imagino que minha irmã estivesse com saudade. Não esperava nada desse tipo."

Tudo isso parece que foi há séculos, principalmente depois de seis temporadas no seriado mais popular do mundo. Agora Alfie Allen é quem escolhe seus projetos. Recentemente começou a ensaiar para "The Spoils", peça escrita e coestrelada por Jesse Eisenberg, que estreou em Nova York no ano passado e está em cartaz em Londres até meados deste ano.

Em relação a Theon, seu pai, Lorde Ceifeiro de Pyke, morto recentemente, deixou um vazio no comando das Ilhas de Ferro – ou seja, parece muito provável que o jovem terá que disputar com a irmã ambiciosa para saber quem será o novo líder da Casa Greyjoy.

Certo, Allen? "Quase, quem sabe? Mas não, não é. O negócio é esperar para ver", disse, mexendo no cabelo loiro.

The New York Times News Service/Syndicate – Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito do The New York Times.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.