Publicidade
Entretenimento
Vida

Alimentação regrada: controlar a ingestão de doces por crianças nas férias é desafio para pais

Com uma alimentação desregrada durante recesso das aulas, níveis de colesterol LDL, triglicerídeos, ácido úrico e sódio são só aumentados, causando alterações metabólicas nos pequenos 27/12/2014 às 17:37
Show 1
Comilança de alimentos prejudiciais à saúde pode se tornar pesadelo para os pais
Laynna Feitoza Manaus (AM)

Coisa boa é a chegada do mês de dezembro e de tantas festividades. Para as crianças, esta época ainda vem acompanhada pelo bônus das férias escolares. Mas o que parecia ser tranquilo para muitos pais pode virar dor de cabeça ao pensarmos que nessa época tem comilança à vontade.

Até aí tudo bem... antes de lembrarmos da avalanche de guloseimas que coincide com essa época de bolos ou pudins na casa da avó, ou pipoca e brigadeiro na casa dos primos. Mas calma, pais: com jeitinho é possível controlar a ingestão de doces e demais alimentos que se tornam prejudiciais – se consumidos em excesso – aos pimpolhos.

Uma mãe já antenada com a importância de uma boa alimentação durante o ano é a bacharel em Direito Jennifer Rebello, mãe do pequeno Jocil Neto.

“Em dezembro, mais especificamente nos dias 24, 25, 31 e 1º de janeiro do outro ano, devido à grande variedade de comidas natalinas de Ano Novo, como por exemplo carnes de porco, pirarucu, bacalhau e etc. eu procuro evitar que ele coma esses tipos de comida, então eu separo apenas  carnes mais leves, arroz, farofa, lasanha ou outras comidas que não sejam tão agressivas ao estômago dele”, alega ela.

Ela também procura evitar que o filho mantenha contato visual com guloseimas a exemplo de bolos, doces, sorvetes e etc. “Mas se isso acontecer e ele quiser, seleciono uma pequena quantidade desses aperitivos para dar à ele, explicando sempre que ele não pode comer nada em excesso para não ‘passar mal da barriguinha depois’”, pondera Jennifer.

Ela e o esposo estão sempre atentos à compra de alimentos variados e coloridos, de maneira que, ao montar o prato da refeição, o filho possa se sentir atraído pelo que vê na mesa.

“Nessa fase, em que eles não tem muito conhecimento e discernimento de sabores, é importante fisgar a criança pelos olhos e é assim que tentamos manter o desejo dele por alimentos saudáveis, como por exemplo cenouras, batatas, brócolis tomate, entre outros”, coloca Rebello.

 A bacharel em Direito admite ainda que o mais difícil de controlar nas férias são mesmo os doces (bombons e chocolates) e o refrigerante. “Mas, em casa, procuramos evitar comprar muitos doces e até mesmo refrigerante estamos evitando, substituíndo por água ou sucos naturais”, ressalta.

Rotina

Durante o ano letivo, existe uma rotina que inclui itens saudáveis como dormir cedo, acordar cedo, fazer atividades físicas e se manter sempre ativo. Nas férias, essa rotina deixa de existir e as atividades físicas entram em recesso, é o que coloca a nutricionista Tatiana Ramos. “O que acontece é que nessa época as crianças não comem em excesso, mas comem poucos nutrientes e mais calorias vazias, alimentos que engordam e que não satisfazem suas necessidades enérgicas”, pondera ela.

A nutricionista relata que, após o Carnaval, a agenda dos nutricionistas lotam de consultas, porque é quando as mães desesperadas relatam o aumento exagerado de peso dos filhos e é quando tentam voltar à disciplina e corrigir os estragos causados.

“Para não se cometer erros hoje que serão visíveis ao final das férias, o indicado não é colocar o filho em uma dieta, mas montar um esquema de saídas para lanchonetes uma vez no fim de semana e uma vez na semana; levar para passeios onde se gasta energia com pedalada e brinquedos em parques; manter sempre sucos e garrafas de água próximas para hidratá-los; e evitar que a criança pule almoço e coma a hora que quiser”, orienta.

A ideia de incluir frutas, salgados assados e lanches de forno na alimentação da criançada mantém as frituras e os doces mais distantes. Então, pais: evitem que os seus filhos durmam à manhã toda e que troquem o dia pela noite, porque o respeito aos horários alimentares fazem com que os pequenos se alimentem mais vezes e com qualidade.

“Reunir os coleguinhas e oferecer a eles um sanduíche light de forno, com suco bem gelado ganha a simpatia de todos. Incluir uma pizza assada e pães de queijo nos lanchinhos festivos torna as refeições mais nutritivas e completas”, encerra Tatiana.

Publicidade
Publicidade