Publicidade
Entretenimento
MÚSICA

Amazonas Filarmônica apresenta concerto com obras de Rimsky e Dvorák nesta quinta (18)

"A Grande Páscoa Russa" e "Sinfonia n.9- Do Novo Mundo" serão executadas no Teatro Amazonas 18/10/2018 às 01:54 - Atualizado em 18/10/2018 às 08:50
Show orquestra1 420bf4f4 8b65 4c54 a3de 26f4b720c0e8
Com entrada gratuita e uma hora de duração, o espetáculo tem a regência do maestro Otávio Simões. Foto: Arquivo AC
Acritica.com Manaus (AM)

Duas obras que apontam, respectivamente, para o passado e o futuro:  “A Grande Páscoa Russa”, do compositor Nikolai Rimsky-Korsakov (1844-1908) e a “Sinfonia n.9- Do Novo Mundo”, de Antonín Dvorák (1841-1904),  serão executadas nesta quinta-feira (18), às 20h, no Teatro Amazonas, pelos músicos da Orquestra Amazonas Filarmônica, sob regência do maestro Otávio Simões. O concerto, que faz parte da Temporada Sinfônica, terá duração de uma hora e entrada gratuita.

 “A obra de abertura, ‘A Grande Páscoa Russa’ foi inspirada nas lembranças da infância do Rimsky-Korsakov. Ele morava no interior da Rússia e ouvia as igrejas ortodoxas badalando os sinos e os cantos ortodoxos. Nela,  ele mistura uma série de cantos rituais e faz uma abertura bem brilhante, usando todo o colorido da orquestra”, contextualiza o maestro.

A segunda obra,  escrita um pouco depois, em 1893,  é a “Sinfonia n.9 em mi menor, op.95 ‘Do Novo Mundo’” de Antonín Dvorák (1841-1904).  “Dvorák era tcheco, bohemio, pois chamava Bohemia aquela região onde hoje a gente chama a República Tcheca. Na época, ele foi convidado a dar aulas no conservatório de Nova York e atravessou o Oceano Atlântico com a família, esposa, filho...e escreveu muitas obras nessa coisa de ‘Novo Mundo’. A América era uma novidade para todos eles. Então é uma sinfonia de um tcheco falando do futuro. A primeira obra fala de passado e a segunda de futuro”, resume.

Black music

De acordo com o regente, na sinfonia “Do Novo Mundo” Dvorák usa a influência da música negra, que ele logo percebeu ao chegar nos Estados Unidos.  “Ele falou: ‘essa música certamente será a base da música do próximo século’, do século 20. A música dos escravos. Dvorák tinha certeza de que ela iria apontar para um novo caminho da música, e foi mesmo, veio o jazz, o blues, black music, R&B... ele acertou. Então a sinfonia tem influência e muito da tradição tcheca, mas já com um certo canto daquelas músicas que a gente chama de ‘negro spiritual’, dos escravos. Ele não pega nenhuma música existente,  só usa uma linguagem que ele ainda estava incorporando”, complementa.

Serviço

O quê: Concerto Rimsky- Dvorák com a Orquestra Amazonas Filarmônica 
Onde:  Teatro Amazonas, avenida 10 de Julho, Largo de São Sebastião, Centro
Quando:  Dia 18 de outubro, quinta-feira, às 20h
Quanto:  Entrada Gratuita

Programação

Nikolai Rimsky-Korsakov (1844-1908)
A Grande Páscoa Russa: abertura sobre temas litúrgicos, op.36 (1888) 
Antonín Dvorák (1841-1904) 
Sinfonia n.9 em mi menor, op.95 “Do Novo Mundo” (1893) 
I. Adagio – Allegro molto
II. Largo
III. Scherzo: Molto vivace
IV. Allegro con fuoco 

Amazonas Filarmônica
Otávio Simões, regente

Publicidade
Publicidade