Publicidade
Entretenimento
Vida

Amazonense Francisco Rider inaugura ateliê de arte na avenida Joaquim Nabuco

O artista explora conceitos da Abordagem Somática, Artes Visuais e Contemporânea 25/11/2014 às 13:13
Show 1
Astista revitalizou o local, que chama a atenção pelo piso português conservado
ROSIEL MENDONÇA Manaus (AM)

O artista amazonense Francisco Rider fez um verdadeiro achado em uma das avenidas mais tradicionais de Manaus, a Joaquim Nabuco, no Centro da cidade. O performer viu no subsolo do imóvel de número 1.436 o espaço ideal para montar o seu próprio ateliê de criação, o Lugar Uma de Artes, que inaugura no dia 10 de dezembro, com a estreia do espetáculo “Fita/Corpo”. O local passa a abrigar o Projeto Cênica Corporal Uma, capitaneado por Rider, e também estará aberto a artistas parceiros que queiram apresentar trabalhos e promover encontros ou mostras.

Ter um espaço para criar e desenvolver suas pesquisas em dança e performance não é uma questão de luxo para Rider, que encara o Lugar Uma de Artes como uma experiência política e de autonomia artística.

“É a primeira vez que tenho um espaço próprio para minhas criações e obras, e isso significa não estar refém de políticas públicas, em todas as instâncias. O artista precisa de um lugar para ‘habitar’ e dar continuidade às suas experiências e laboratórios”, defende ele.

“Quando morei em Nova York, muitos artistas que conheci tinham os espaços deles. É o caso da Trisha Brown [bailarina e coreógrafa estadunidense]. Isso foi me motivando”, confessa, relembrando os dez anos em que morou nos Estados Unidos, onde trabalhou com expoentes da dança como Donna Uchizono, Sarah Pearson e Patricia Hoffbauer.

DIÁLOGO

Quando Rider começou a ocupar e se familiarizar com o Lugar, o espaço acabou definindo os rumos de “Fita/Corpo”, espetáculo ao qual ele se dedica atualmente. Segundo ele, o trabalho passou a dialogar com a arquitetura do local, como se esta “pedisse para ser usada”. “O espetáculo já tinha uma vida própria, mas quando comecei a ocupar o ateliê, ele começou a ecoar na criação. Hoje há uma interdependência”, explica.

Também morador do Centro, o artista se disse fascinado quando conheceu o subsolo do imóvel, antiga residência da Sra. Catarina, francesa que atuou como professora de francês em Manaus. O espaço tem quintal com fundos para os jardins do Prosamim da Ramos Ferreira e se destaca por seus traços arquitetônicos. “É incrível porque parece uma mesquita e, ao mesmo tempo, uma capela. Fiquei fascinado em conhecer um lugar como esse em Manaus, esquecido no Centro”.

De acordo com Rider, “Fita/Corpo” dá continuidade à uma investigação do corpo como suporte para materiais de naturezas, texturas e sonoridades diferentes.

A performance vai trazer à cena o uso de fitas adesivas e esparadrapos. O espetáculo foi contemplado com recursos do Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2013, do governo federal, e do Proarte 2013, da Secretaria de Estado de Cultura (SEC). “Híbridas e com linguagem polissêmica” – é assim que Rider define as suas obras. “Não são uma coisa só, nem passam por uma única leitura”, completa.

Perfil de Francisco Rider

Nascido em Manaus, Francisco Rider iniciou sua trajetória artística no Teatro, trabalhando ao lado de Socorro Langbeck, a Beckinha, com o grupo O Grito, e Wagner Melo, no início dos anos 1980.Ainda em Manaus, Rider trabalhou no Balé Experimental do Teatro Amazonas, ao lado de Conceição Souza.Em 1987, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde estudou Balé Clássico. Dois anos depois, transferiu-se para São Paulo e participou do circuito paulista de Dança Contemporânea.A partir de 1996, realizou suas experimentações e performances em Nova York. Em 2006, voltou a Manaus, onde reside e desenvolve projetos e performances desde então.

Serviço

O que é: Inauguração do Lugar Uma de Artes com a performance “Fita/Corpo”

Quando: Dia 10 de dezembro, às 19h30

Onde: Av. Joaquim Nabuco, 1.436, Centro

Quanto: R$ 10 (inteira)

Publicidade
Publicidade