Sexta-feira, 22 de Novembro de 2019
Cinema

Ator do AM viverá namorado de Suzane Richthofen em filmes sobre o crime

Leonardo Bittencourt, natural de Manaus, será Daniel Cravinhos em "A Menina Que Matou Os Pais" e "O Menino Que Matou Meus Pais". Produções que vão contar a história do caso devem estrear em 2020



AMeninaPais_Foto4Filme_9E0B0BD8-7828-4111-AB02-6FE9F36C3C75.jpg Fotos: Stella Carvalho/Divulgação
23/09/2019 às 07:00

O ator amazonense Leonardo Bittencourt estava almoçando na casa de um amigo, quando recebeu uma ligação do produtor de elenco do filme “A Menina Que Matou Os Pais”, avisando que ele havia passado no teste para viver Daniel Cravinhos. A produção conta a história de Suzane Von Richthofen e seu envolvimento no assassinato de seus genitores, Manfred e Marísia von Richthofen. “Fui da euforia por ter sido bem sucedido em um teste tão disputado ao foco imediato, consciente da responsabilidade que seria contar essa história”, alegou o ator, em entrevista ao BEM VIVER TV.

A história, norteada pela cumplicidade de Daniel com Suzane no crime que chocou o Brasil em 2002, será contada em dois filmes a serem lançados simultaneamente: “A Menina Que Matou Os Pais” e “O Menino Que Matou Meus Pais”. “Cada um conta a história como eles se conheceram até o fatídico dia do crime. O primeiro sob o ponto de vista de Suzane, e o segundo, na visão do Daniel”, explica Leonardo. As produções, dirigidas por Maurício Eça, estão previstas para estrear em 2020.



Segundo Leonardo, os testes para viver o personagem duraram alguns meses. “Eu já estava em São Paulo gravando uma série, quando meu empresário me falou da possibilidade de interpretar o Daniel nos cinemas. Por se tratar de um caso de repercussão nacional, houve grande concorrência pelo papel até chegarem ao meu nome”, declara ele.

Na preparação para viver Cravinhos, Bittencourt teve um workshop com a criminóloga e roteirista do filme, Ilana Casoy, que esteve presente na reconstituição e no julgamento do caso Richthofen. “Li tudo que podia sobre o caso, ouvi depoimentos sobre o Daniel e fizemos todo o processo de preparação com nossa preparadora Larissa Bracher. Todas essas informações compuseram essa busca pela essência do personagem”, destaca ele.

Além do próprio peso da história, Leonardo alega ter tido alguns outros desafios na preparação. “Pouca gente sabe que o Daniel era um grande aeromodelista, chegou a disputar campeonato na Ucrânia. Então aprendi a pilotar, linguagem técnica, pequenas noções de mecânica. Além disso, tive aulas de prosódia para aprender o sotaque paulista. É um personagem bem complexo”, complementa ele.

Parceria

Um dos pontos altos da produção é a interação de Leonardo com a atriz Carla Diaz, que dará vida a Suzane Von Richthofen - namorada de Daniel - na trama. “Conheci a Carla quando ela fez uma participação em Malhação. Sempre me chamou a atenção a postura da Carla dentro do set, uma atriz de muita técnica e uma parceira sempre presente. Nós temos estilos de interpretação bem diferentes que em cena se completam”, aponta ele.

Antes do filme, o ator não tinha ideia da gravidade do caso. “Quando o crime aconteceu eu tinha apenas 8 anos. Tudo que sabia era basicamente o que todos viam nos jornais. Até hoje ainda é um caso que gera muita repercussão quando mencionado, e se isso acontece, existe a necessidade de discutir sobre”, conta ele, ressaltando o profissionalismo da equipe dos filmes, que trabalham com discrição. “O objetivo é tratar de maneira respeitosa como essa história vai ser contada”.

Subeditora de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.