Publicidade
Entretenimento
Vida

Amazonense participa de campanha nostálgica para o adeus final do Orkut

Em uma ode ao fim da rede social, a marca de bombons Halls fez um vídeo com donos de comunidades, que tem até um amazonense no meio da campanha 24/09/2014 às 09:58
Show 1
Thaís e o marido foram para SP gravar a cena do “beijo de cinema”
Loyana Camelo ---

Agora é contagem regressiva: no próximo dia 30, o Orkut será excluído de vez. Quem ainda possui fotos por lá deve correr contra o tempo para salvá-las de também serem deletadas. Infelizmente, outras coisas não poderão ser salvas e deverão ficar apenas na memória dos então usuários - como receber um depoimento novo, mandar scraps e adentrar as mais variadas (e exóticas) comunidades. Pensando na nostalgia vindoura, a marca de bombons Halls resolveu fazer uma ode ao fim do Orkut e idealizou uma campanha literalmente desafiadora.

No vídeo (já disponível no YouTube pelo canal da HallsBrasil's channel) intitulado “Halls apresenta: o último respiro”, de quatro minutos, três donos de comunidades são desafiados a fazer exatamente aquilo contido nos títulos/descrições destas. Uma das convidadas foi a amazonense Thaís Vasconcelos, atriz e publicitária, cuja comunidade era “Eu quero um beijo de cinema”. À convite da Halls, ela foi até São Paulo com o marido, e lá o casal gravou uma cena de beijo digno de cinema.

A ideia da comunidade era, segundo ela, “encontrar alguém para dar aquele beijo romântico, de levantar o pezinho”. Então, ambientados em uma lanchonete estilo anos 60, Thaís e o marido Frederico Ramos - que é ‘crooner’ da banda local The Stone Ramos - flertam e protagonizam a cena romântica. Thaís conta que os produtores do vídeo tiveram o cuidado de reproduzir o seu estilo pin up, o qual encaixou perfeitamente com o personagem encarnado pelo marido na banda.

“Quando chegamos ao estúdio, eles já tinham feito uma investigação pesada sobre nós”, explica. A atriz e publicitária ficou encantada com o resultado final. “Gostei pra caramba, até porque eu não esperava. Sou de Manaus, minha comunidade não tinha tanta gente assim, então pensei; ‘por que escolheram a mim?’ E eles disseram que foi justamente por conta do nosso perfil. Nós éramos pessoas que aparentavam tirar de letra uma atuação. Ficou uma gracinha mesmo”, acrescentou.

Além de Thaís, os donos das comunidades “Eu quero pular do palco!!!” e “Não mergulho com estilo” também foram convidados a realizarem estes desafios.

Saudades desde já

Além das comunidades, o “último respiro” do Orkut relembra também algumas ferramentas que certamente irão deixar os usuários nostálgicos. As descrições de “quem sou eu”, incluindo o que virou o famoso chavão “só add com scrap”. Os próprios scraps, que antes eram colecionados e passaram a ser “lidos e apagados”. E antes da opção de carregamento ilimitado, o desafio de escolher apenas doze fotos para o álbum.

No momento atual de poucos dias antes do adeus, Thaís Vasconcelos diz já sentir falta da rede social, que na sua opinião, era mais “humanizada”. “Eu acho que a gente se relacionava mais com as pessoas. Tinha menos a questão do meme, menos vídeos. O Facebook não tem muita interação direta. No Orkut mandava depoimentos para quem você gostava, abria tópicos nas comunidades para conversar com as pessoas”, aponta. E apesar de praticamente todos os usuários do Orkut já haverem migrado para o Facebook, parece que sempre fica uma ponta de saudade.

Publicidade
Publicidade