Segunda-feira, 24 de Junho de 2019
Vida

Ana Carolina celebra 15 anos de carreira com lançamentos

O DVD "#AC Ao Vivo" foi lançado em abril e reúne canções do último álbum da cantora, intitulado #AC e mais uma compilação de releituras



1.jpg O produto será também comercializado em CD Standard e Duplo
02/05/2015 às 13:37

Os 15 anos de estrada construíram uma Ana Carolina feita de imagem e som; fato perceptível para quem acompanhar o seu mais recente DVD “#AC Ao Vivo”. Lançado em abril, o trabalho reúne canções do último álbum de Ana, intitulado #AC, e mais uma compilação de releituras. Privilegiando canções que fizeram parte de sua história, algumas faixas específicas fazem ode a outros álbuns anteriores, a exemplo de “Eu Comi a Madonna”, referência ao álbum “Dois Quartos”; “10 Minutos”, com referência ao “N9ve”; “Problemas”, em que ela relembra “Ensaio de Cores” e “Garganta”, cuja época lhe remete à parceria com Seu Jorge. Ao todo, o DVD carrega 28 faixas. Neste rol também há a inédita “Coisas”, releitura da canção “Cose” e composta pela cantora em parceria com Sal da Vinci, Adriano Pennino e Pasquale Panella.

De tantos álbuns - verdadeiros “filhos” que nasceram ao longo dos 15 anos - fica difícil escolher um em particular. Mas “N9ve” é um disco que Ana, em entrevista ao BEM VIVER TV, classifica como o notável dentre os outros. “Gosto deste e do último que nós estamos fazendo. Sempre gostamos mais do último que estamos fazendo (risos)”, pondera. No DVD, a cantora recebeu reforço – dentre todos os outros que teve – do DJ Mikael Mutti, conhecido por ter realizado trabalhos com Stevie Wonder e John Legend. A interação foi maravilhosa, diz ela. “Antes de chegar nele vi entre oito a 10 DJ’s e quando cheguei no Mikael ficou ruim pra todo mundo (risos). Ele toca tamborim com a guitarra do Guitar Hero (jogo), tem umas coisas loucas e gosta de experimentar”, coloca.

Olhos e ouvidos

Um pouco antes do disco #AC, surgiu em Ana as veias da direção e edição de imagens, o que a faz estar por dentro dessas fases do trabalho também. “Ao mesmo tempo que faço uma canção porque não posso sugerir as imagens? É um vício danado. No DVD, editei várias canções, entre elas ‘Bang Bang 2’ e ‘Coração Selvagem’. Às vezes eu vejo o clipe de alguns cantores e acho absurdo a falta de feeling, de sentido em DVD’s... às vezes vem uma música atrás da outra sem contar uma história. Quando eu coloco a mão na massa, ficando bom ou ruim, a culpa é minha. E passa por aquele crivo de estar tudo bem feito. Ajuda muito a minha consciência fazer esse trabalho”, ressalta.

Em relação à transposição dos arranjos do disco antigo para o DVD, Ana Carolina preferiu manter algumas coisas do álbum. “Eu mantive a coisa do DJ com a percussão. O Edu Kriegerfoi uma grande aquisição como baixista, porque ele toca violão de sete no disco. Arranjamos a música ‘Cabide’ com o violão de sete porque fazemos uma roda de samba nesse momento. E a parte eletrônica eu simplesmente coloquei as pessoas para tocarem o que já tinha no disco. O Mikael também toca com uns disparadores na percussão, e eu acho que tudo se encaixou bem”, complementa ela sobre o disco, que também tem releituras de músicas como “Fire” - composição de Bruce Springsteen - e “Coração Selvagem”, de Belchior.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.