Segunda-feira, 01 de Junho de 2020
cinema

Animação 'Mezanino'estreia no Casarão de Idéias nesta quarta-feira (11)

O curta-metragem ambientado em Manaus representa as zonas de transição e de conflito da adolescência para a fase adulta



bv0810-001f_7641E89B-9EEE-45C0-8125-068D271D5E8F.jpeg ‘Mezanino’usa a paisagem geográfico-urbana de Manaus e representa o período de transição e conflitos dos jovens para fase adulta na região amazônica / Foto: Divulgação
10/03/2020 às 15:06

Tendo como “cenário” a paisagem geográfico-urbana de Manaus, o curta-metragem amazonense de animação “Mezanino” estreia nesta quarta-feira (11), com o propósito de representar a passagem da juventude para a fase adulta na Amazônia. Serão oferecidas duas sessões gratuitas - 19h15 e 20h15 - no Casarão de Ideias, localizado na Rua Barroso, 279, Centro. A distribuição de senhas para as sessões inicia 15 minutos antes do início da projeção.

Com direção de Bruno Villela, “Mezanino” apresenta os diversos conflitos que tomam conta do imaginário dos jovens, no período de transição da adolescência para a fase adulta, tais como morte e depressão.



Além de Manaus, o diretor tem planos de exibir o curta-metragem em Santos (SP), onde foi feita parte da animação no estúdio; em São Paulo e em Brasília. O curta-metragem (12min44s) também será exibido em breve pela TV Ufam, além de outros canais públicos, como TV Brasil e TV’s uiversitárias.

A animação se passa no mezanino do Edifício Cidade de Manaus (Av. Eduardo Ribeiro, Centro), onde dois jovens se encontram em uma obscura sala vazia. No local, eles iniciam a busca pelo "poema solar", uma espécie de primeiro motor, que irá levá-los à fase adulta. Percorrendo “diversas Manaus” - como Bruno caracteriza - “Mezanino” mostra zonas de transição entre o tempo mítico e o histórico, entre a cidade e a floresta, entre a juventude e a fase adulta, entrelaçado à questão da criação artística, ao que está associado ao sentido da vida.

“Existem muitas Manaus. São muitos tempos e espaços convivendo juntos. Uma metrópole urbana, moderna e ao mesmo tempo indígena, assentada sobre muitos rios e cercada de florestas. Sempre procuro trazer essa relação do povo indígena com a modernidade. Um olhar político e plural da Amazônia que perpassa tudo o que tenho produzido”, detalha Bruno Villela.

Segundo Bruno, sua poesia está na íntegra no filme com uma narração em off do protagonista, sendo inserido apenas diálogos entre os personagens para fins dramáticos. “Como tenho essa incursão literária, especialmente na poesia, foi uma oportunidade de desenvolver visualmente um texto poético e não apenas um texto dramático. Apesar do traçado do desenho ser bem realista, achei que seria interessante fazer uma animação experimental com esse lado poético e lírico bem aflorado”, declara Bruno.

O filme é composto por dois personagens. A equipe de dubladores é liderada por Adanilo Rei – ator que participou do filme "Marighella" - e Daniela Blois – que interpreta a personagem Leandra. Robert Coelho é responsável pela fotografia do filme; Marcelo de Moura faz a concepção dos personagens e da direção de animação; Juliana Almeida e Jean de Moura fazem a produção executiva. A trilha sonora é feita pelo grupo santista Coletivo Teremin.

Após cada sessão exibida, o diretor Bruno Villela, a produtora Juliana Almeida e o diretor de fotografia Robert Coelho participarão de uma roda de conversa com o público. O evento é uma parceria da produtora Cambará Filmes com o Cine Set, site de cinema independente realizado na capital amazonense há mais de cinco anos.

Novos rumos

Originalmente, “Mezanino” faria parte do segundo livro de Bruno Villela, chamado "O azul dos seres subterrâneos". No entanto, a aprovação do projeto no edital “Manaus de Audiovisual (2016)” mudou os rumos iniciais. “O curta era para ser um texto, mas acabei desdobrando e inscrevi a animação porque queria fazer uma espécie de videoarte, mas vi que seria uma oportunidade de explorar outras linguagens artísticas”, afirma Bruno.

Perfil

Bruno Villela é natural de Santos, em São Paulo. Trabalha como realizador audiovisual e roteirista. Escreve poesia desde os 12 anos. Bacharel e Licenciado em Filosofia pela USP, concluiu o Mestrado pelo Prolam, estudando documentário social no Brasil e Argentina. Atualmente, reside em Brasília. Mas morou em Manaus durante cinco anos, onde dirigiu o programa Nova Amazônia, exibido na TV Brasil. Ele criou e dirigiu a série documental Índio Presente.

Serviço:

O quê: Curta-Metragem "O Mezanino"

Quando: Quarta-feira, 11 de março

Onde: Casarão de Ideias, Rua Barroso, 279, Centro

Horário: 19h15 (primeira sessão) e 20h15 (segunda sessão)

Quanto: Gratuito

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.