Publicidade
Entretenimento
Vida

'Aqui é tapa na cara': Bruna Louise fala sobre seu show de humor 'Desbocada'

O mito da “Super Mulher” e as queixas femininas da vida a dois são alguns dos temas do show de humor, que acontece neste sábado (26) no Teatro Manauara 18/09/2015 às 17:49
Show 1
Bruna já veio a Manaus com outro espetáculo, o "Deixa Eu Te Contar"
Lucas Jardim Manaus (AM)

A atriz Bruna Louise tem muita coisa em mente. O mito da “Super Mulher”, o preconceito contra mulheres na comédia, as queixas femininas da vida a dois. Esses temas permeiam seu show de humor “Desbocada”, que chega a Manaus para uma apresentação única neste sábado (26).

Bruna já esteve por aqui este ano, apresentando “Deixa Eu Te Contar”, peça que co-estrela com Kéfera Buchmann, o que relembra com carinho. “A turnê do ‘Deixa’ me levou a Manaus e Belém, que foram os lugares mais longe de casa aonde levei espetáculos, então voltar é bom. Uma pena que, de novo, não vou ter tempo de conhecer nada. Chego no dia do espetáculo e vou embora na manhã seguinte”, comentou a comediante em entrevista ao BEM VIVER.

Origem teatral

O aperto da agenda, claro, é uma felicidade para a artista, que começou apresentando pequenos segmentos de stand up no Curitiba Comedy Club, única casa dedicada ao humor da capital paranaense.

“Sou formada em artes cênicas e sempre me identifiquei com o humor. Eu acho que o stand up é feito no Brasil há muito tempo. Chico Anysio, por exemplo, já fazia, mas não tínhamos o nome e o formato, que veio dos EUA. Quando essas coisas chegaram aqui, eu lembro de ter visto gostado muito. Aí comecei a trabalhar minha transição do teatro para o stand up”, relembrou.

Essa transição, segundo ela, não foi nada fácil. “No teatro, você tem um personagem, que te protege, um texto, que te ampara, e toda uma gama de profissionais como sonoplastas e figurinistas segurando a sua barra. No stand up, é só você e o microfone, então assim, é o seu c* na reta [risos]”, comentou.

Liberdade

Para passar por cima do nervosismo, ela criou stand ups baseados em personagens (formato, segundo ela, bem comum no Nordeste, mas não tanto no Sul do País), mas acabou investindo no que ela chama de “stand up cara limpa”. 

“Esse formato te dá liberdade de falar sobre o que quiser, o que acho muito difícil de fazer dentro de um personagem. Meus shows giram em torno de assuntos femininos - isso engloba muita coisa então preciso dessa amplitude”, detalhou Bruna.

O sucesso levou-a a expandir o seu repertório até o ponto de ter seu espetáculo solo, o que Bruna diz ser normal na cena stand up. A comediante também participou de competições de humor em programas de televisão. “Participei do ‘Domingão do Faustão’ e estive duas vezes em um especial que o [canal] Comedy Central produz no Brasil todo ano. Foi demais”, refletiu.

Sem medo de ser ridícula

Bruna confessa que sentiu muito preconceito quando começou sua carreira no stand up, o qual, segundo ela, decorreu de dois grandes fatores. “O fato de que há poucas mulheres fazendo e um estigma que eu não sei de onde vem que mulher não pode falar palavrão ou falar de sexo”, comentou a comediante.

A questão do sexo, particularmente, é uma preocupação da artista, mas não a única. “Eu coloquei o nome do meu show de ‘Desbocada’ para as pessoas saberem que aqui não tem amor, não tem florzinha. Aqui é tapa na cara.Entendo que a maioria das pessoas associe a palavra a falar de sexo, mas é mais do que isos. Meu espetáculo é sobre a mulher perder o medo de ser ridícula”, afirmou.

Batendo de frente com mitos

Algo que satisfaz muito a comediante é ser abordada no final do show por mulheres que dizem ter se identificado com o texto. “Você não tem ideia de como fico feliz quando uma mulher chega para mim e fala: ‘Nossa, você falou exatamente o que eu queria falar e não tinha coragem!’ Quando isso acontece, me sinto com o dever cumprido”, comentou Bruna.

Ela falou que também é abordada por casais e fica feliz quando os homens também conseguem refletir sobre o que viram. “Meu foco é a mulher, mas quero que os homens se divirtam, claro. De vez em quando, aparece um para falar comigo, junto com a esposa ou a namorada, e acaba confessando: ‘É, eu sou meio babaca às vezes como na cena x’ [risos]”, explicou.

O fator da identificação, principalmente feminina, deve-se, segundo a artista, a várias questões. “Eu bato de frente como alguns mitos, como o da Mulher dos Sonhos, angelical, fofa e educadinha, bem como o da Super Mulher, que eu acho muito difundido hoje em dia. É como se a gente tivesse que, além de ser linda, gostosa, depilada, mãe dedicada e cozinhar que nem a nossa sogra, a gente ainda tivesse que ser aquela super profissional. É uma pressão sem fim e é totalmente absurdo”, atirou. 

Perguntada sobre as causas disso, ela se mostrou ponderada, mas acima de tudo esperançosa. “Claro que temos que lidar com muitos homens que, no fundo, acham que casaram com a própria mãe, mas isso está mudando e isso é legal. É algo geracional”, falou.

A diferença de gerações é o que está fazendo ela sair de casa agora, com 30 anos, enquanto sua mãe, com a mesma idade, já tinha tido duas filhas e se separado, segundo a comediante.

“Eu tenho que lidar com um universo diferente do da minha mãe e os homens também. Ouço várias histórias de casais em que os homens são super parceiros e não deixam tudo nas costas da mulher. Acho que a gente ainda certa essa igualdade sim!”, concluiu.

Serviço

O que é? Espetáculo de stand up comedy “Desbocada”, com Bruna Louise

Quando é? Sábado (26), às 21h

Onde é? Teatro Manauara (Av. Mario Ypiranga Monteiro, 1300, bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul

Quanto é? Setor A: R$ 120 (inteira) e R$ 60 (meia) / Setor B: R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia)

Publicidade
Publicidade