Publicidade
Entretenimento
Arnaldo Garcez representa Amazonas no exterior

Arnaldo Garcez vai representar o Amazonas em exposição internacional

O artista plástico amazonense vai estar presente na Artexpo, uma das exposições de arte mais reconhecidas do mundo 09/03/2013 às 11:32
Show 1
Obras de Arnaldo Garcez já compuseram cenários de inúmeras novelas nacionais
Gabriel Machado Manaus

As próximas semanas vão ser bastante agitadas para o artista plástico Arnaldo Garcez. Depois de ter suas telas expostas em folhetins como “Cheias de Charme”, “Da Cor do Pecado” e “Salve Jorge”, o pintor já agendou trabalhos em São Paulo e Nova York, onde participará - ao lado de outros 20 artistas brasileiros - da nova edição da Artexpo, uma das exposições de arte  mais reconhecidas do mundo.

Antes de marcar presença na “cidade que nunca dorme”, porém, Garcez tem um compromisso aqui mesmo pela “terrinha”: na MS Casa. O pintor foi um dos escolhidos para ter suas telas expostas no lançamento dos móveis da Arte & Fato, no próximo dia 19. “Cada ambiente é projetado por um arquiteto e meus trabalhos vão estar inseridos neles. Estou muito feliz de estar começando a minha temporada em Manaus”, comentou o artista.


Artexpo 2013

Garcez nem terá tempo de comemorar com seus conterrâneos, já que, no dia 21, ele já deve estar no Pier 92, em Nova York, para a Artexpo 2013. “Essa é minha sétima participação na mostra, no entanto, a primeira como artista convidado. Isso me deixou com muito orgulho”, revelou o pintor, que levará 10 obras inéditas, pintadas com tintas criadas por ele mesmo, para o salão norte-americano. A exposição ficará aberta até o dia 24 deste mês e contará com artistas de São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro.

Quem disse que arte e pizza não andam juntas? Encerradas as suas atividades internacionais, Garcez retorna ao Rio de Janeiro, cidade onde reside desde o final da década de 70, e passa a mirar o seu próximo projeto: uma mostra na galeria da Pizzaria Piola It, nos Jardins, em São Paulo. “É uma rede de pizzaria e galeria que existe no mundo todo e onde expus, há uns dois anos, em Nova York”, lembrou o pintor.

Para a exposição, que ficará aberta de 14 de maio a 9 de junho, ele criou 18 telas inéditas, de tamanhos variados, que abordam diversas questões sobre o ser humano, como solidão, tristeza e alegria, entre outras. “Acho que faço uma analogia muito ampla sobre a nossa situação, o nosso comportamento, dentro da nossa convivência social. É um trabalho que se difere por ser um material que estou desenvolvendo com pigmentos naturais, que modificam e criam uma nova leitura das cores”, finalizou o artista.

Publicidade
Publicidade