Publicidade
Entretenimento
Vida

Arte só de meninas

Com sua primeira exposição lançada, coletivo Adejo promove o “protagonismo feminino” através da produção de artes e encontros virtuais entre as participantes 18/08/2013 às 18:37
Show 1
Coletivo Adejo
Mônica Dias ---

Um espaço on-line livre para produzir material artístico e “trocar figurinhas” sobre arte, aberto somente para membros do sexo feminino: Este é o coletivo Adejo. Formado em 2012 pela designer amazonense Ana Carolina Pas e a artista plástica paulista Priscilla Fierro, o grupo foi agregando apenas participantes mulheres sem querer e, quando menos perceberam, as meninas acabaram gostando e adotando a ideia. “Não foi planejada mas, no final, nós exploramos isso como algo bastante positivo não só pela temática mas também por protagonismo feminino”, explicou Priscilla.

A dupla fundadora tinha interesse na produção em artes visuais e passou a compartilhar informações, técnicas e temáticas na web, culminando com a criação de um portfólio virtual no site Behance. Em 2013, o compartilhamento promovido pelo projeto foi além das duas integrantes, agregando outras artistas. A partir de então, o Adejo passou a ser um coletivo formado também pela estudante de Direito Kathariny Belchior, a estudante do Arquitetura Mandy Muniz e a jornalista Susy Freitas.

Apesar das formações diversas, todos os membros do grupo apresentam um interesse na criação e formação artística, seja através de cursos ou da prática, focando nas artes visuais em suas mais variadas facetas. Dessa maneira, os trabalhos das artistas englobam intervenções, colagens, fotografia, pintura e arte digital.

Internet como aliada e liberdade de criação

A palavra “adejo” significa “sequência de voos sem destino determinado, pairar, mover-se. Além de leve e significativo, o nome reflete bastante na forma como as artistas desenvolvem seus projetos e seus encontros virtuais.

Sem temas ou dias certos para reunião, as integrantes do coletivo possuem total liberdade de criação e usam e abusam da praticidade da internet. “Nós usamos um grupo no Facebook e troca de e-mails como base para publicar, conversar, discutir etc. As coisas são bem naturais, na realidade, nada marcado com hora e data”, explica Ana Carolina.

“Isso mesmo, as discussões na web são mais práticas do que as físicas. A Priscilla, uma das fundadoras do grupo, não é de Manaus. Ela é de São Paulo, então seria complicado incluí-la com frequência em uma reunião que não fosse virtual. Fora isso, tem a praticidade de compartilhar materiais, seja um link mostrando um trabalho legal de algum artista, seja um texto mais teórico, ou mesmo o andamento de algum trabalho nosso”, completou Susy Freitas.

Primeira exposição do Coletivo

Nessa sexta-feira (16), às 19h, o coletivo deu um grande passo e lançou sua primeira exposição, no Sebo O Alienígena, localizado na Rua Lima Bacury, 64-C, Centro. A mostra permanece até o dia 4 de setembro no local - de segunda a sexta, de 13h às 17h, e aos sábados, das 8h às 13h - com trabalhos de Ana Carolina Pas (intervenções), Kathariny Belchior (fotografia) e Susy Freitas (pinturas).

Todas as obras expostas podem ser adquiridas pelos visitantes. Para mais informações sobre as obras e a exposição, basta entrar em contato através do email projetoadejo@gmail.com ou consultar o proprietário do Sebo O Alienígena, Jorge Bandeira.

Futuro

Para o futuro, o coletivo planeja a criação de um site oficial (por enquanto, os trabalhos são expostos no behance) e a realização de uma próxima exposição que conte com obras das cinco integrantes.

 

Publicidade
Publicidade