Publicidade
Entretenimento
Vida

Arte valorizada: projetos de decoração incorporam obras

De olho nisso, a l’Amazonie realiza, de 6 a 8 de outubro, o workshop “Compreendendo e aplicando uma obra de arte à arquitetura e design de interiores”, ministrado pelo artista plástico Nelson Falcão, um dos representados pela galeria 03/10/2015 às 15:44
Show 1
A arquiteta e urbanista Theka Mendes, uma das responsáveis pelo blog, destaca que a abertura da galeria trouxe novas perspectivas para quem trabalha com decoração
rosiel mendonça ---

A galeria l’Amazonie, localizada no Vieiralves, deu início a uma parceria com arquitetos e designers de interiores de Manaus para estimular o uso de obras de artistas amazonenses nos projetos de decoração. A iniciativa tem o apoio do blog Supérfluo Necessário (http://superfluonecessario.com.br), que reúne um time de profissionais da cidade.

A arquiteta e urbanista Theka Mendes, uma das responsáveis pelo blog, destaca que a abertura da galeria trouxe novas perspectivas para quem trabalha com decoração. “Não tínhamos um espaço como esse, em que pudéssemos acessar com tanta facilidade as obras dos artistas locais. Nosso objetivo agora é criar uma massa crítica entre os consumidores de arquitetura e despertar neles o interesse para a arte amazonense”.

A designer de interiores Larissa Guerra, também da equipe do Supérfluo Necessário, completa: “Saber usar a iluminação correta e a melhor forma de posicionar uma obra é um conhecimento que nós profissionais nem sempre temos, por isso vai ser importante essa troca de conhecimentos”.

De olho nisso, a l’Amazonie realiza, de 6 a 8 de outubro, o workshop “Compreendendo e aplicando uma obra de arte à arquitetura e design de interiores”, ministrado pelo artista plástico Nelson Falcão, um dos representados pela galeria.

A ideia do curso, segundo ele, é levar os profissionais a uma imersão no mundo das artes e mostrar como as obras podem integrar os projetos residenciais ou corporativos. O curso será ministrado em dois horários, das 10h às 12h e das 16h às 18h. Mais informações pelos números (92) 3343-5122 e (92) 98269-0256.

Manuseio

Geyna Brelaz, que coordena a galeria l’Amazonie, vê a obra de arte como a cereja do bolo dos projetos de arquitetura e decoração. “Ainda se tem uma mentalidade de que vale mais gastar como uma poltrona do que para preencher as paredes com obras para apreciação. A arte por si só se valoriza”, opina a colecionadora.

Ela espera que a parceria com os decoradores amazonenses funcione como uma ponte para chegar até os clientes. “Eles estão em contato direto com nosso público. O cliente pode até vir aqui sozinho, gostar e separar uma peça, mas depois ele acaba voltando com o arquiteto. Só não levo a obra na casa do cliente para ver se dá certo, mas a parceria com os profissionais ajuda nesse aspecto”.

Segundo ela, os arquitetos terão acesso a imagens das obras da galeria em alta definição, assim eles já podem incluí-las diretamente nos seus projetos. “Mas as obras não têm que combinar com a decoração, e sim com o dono. É diferente do objeto de decoração”, ressalta Larissa Guerra.

Uma vez escolhida a obra, uma equipe da galeria vai à casa do comprador para instalá-la da forma mais adequada. “Ela também exige manutenção e cuidado na higienização, além de uma luz correta”, explica Geyna.

Jandr Reis, artista plástico; expõe obras na saccaro, fast frame e artefato

“Imagina se todo arquiteto já fizesse os seus projetos prevendo uma obra de arte? É como acontece no Rio, onde cada prédio que se constrói dá visibilidade à arte logo na entrada, geralmente esculturas. Seria um incentivo para os artistas daqui produzirem cada vez mais, além de ser uma forma de viabilizarem o próprio trabalho. Valorizar os talentos amazonenses é uma solução para fugir das reproduções e dos papéis de parede”.

‘Arte não é só o belo e ornamental’

O que é uma obra de arte? Por que algumas valem mais que as outras? Essas são algumas questões que o artista Nelson Falcão vai abordar no workshop voltado para os arquitetos e designers de interiores na galeria l’Amazonie.

“Assuntos mais específicos e básicos como técnicas artísticas são importantes para os profissionais que não são da área compreenderem como funciona o processo criativo. Entender a questão poética de cada obra também contribui para a comercialização coerente e justa das produções, para que o cliente saiba o que está adquirindo”.

Acima de tudo, Falcão vê a arte como um bom investimento. “Hoje, quando se compra uma obra, é preciso pensar 10 ou 20 anos à frente, em como ela vai ser valorizada. No futuro, o valor pode ser o dobro ou o triplo”.

Ele também diferencia a obra de arte do simples objeto de decoração reprodutível. “A arte não está ligada só ao belo ou ornamental. O feio, o sublime e o grotesco também são estéticas. A arte como enfeite é algo que vamos aos poucos deixando de priorizar”.


Publicidade
Publicidade