Domingo, 26 de Maio de 2019
HISTÓRIA

Artista do AM com deficiência auditiva sonha em ser estilista e viver das criações

Marcos Pontes, de 35 anos, começou a desenhar aos 6 anos e já preparou modelos para duas misses



marcos_6CB022B4-DAD5-444F-83D3-10F63FBCBA07.JPG
Foto: Junio Matos/Freelancer
28/03/2019 às 18:48

Por trás de tudo que usamos, vestimos ou calçamos há um criador que usou sua imaginação, desenhou, idealizou e fez a sua criação. Marcos Pontes, de 35 anos, é uma dessas pessoas. Com deficiência auditiva desde que nasceu, o artista ainda criança mostrou aptidão para o desenho e, mesmo sentindo dificuldades para conseguir e divulgar seu trabalho, não desistiu do sonho de ser um artista reconhecido.

Marcos sonha em ver os seus desenhos saírem - que são vários em inúmeras caixas e pastas - do papel e ganharem vida, no entanto, considera seu maior obstáculo a comunicação.

Marquinhos, como é carinhosamente chamado pela mãe, Marilene Pontes, sonha em trabalhar como estilista. É com a ajuda dela, sua tradutora em período integral, que ele consegue algumas clientes e vende os croquis (desenhos de roupas).

“Ele começou a desenhar com 6 anos. Olhava e conseguia reproduzir. Quando foi crescendo foi se aprimorando. Hoje ele desenha roupas femininas”, conta a mãe.

“Viciado” em realities de moda, o artista adora acompanhar os concursos de beleza e sonha em frente à TV com o dia em que os seus modelos estarão em uma passarela. Sonho que já sentiu um “gostinho” ao ter dois de seus desenhos vendidos à Miss Global 2017, Barbara Vitorelli, e à Miss Brasil Global 2018, Juliana Soares. Tudo graças às redes sociais, ferramenta que o ajuda bastante na divulgação do trabalho.

“Elas encontraram ele no Instagram e gostaram dos vestido. Então, entraram em contato e convidaram ele pra ir em um evento. Ele desenhou os vestidos especialmente para elas e ainda foi levado no evento para ajudar a divulgar o trabalho dele”, traduz a mãe enquanto Marcos conta com orgulho.

Através da língua de sinais, Marcos conta que sempre que tem uma ideia corre para colocar em prática. E qualquer objeto pode se tornar parte de croquis. Papel de presente, cola glitter, emborrachado e muito mais são usados para simular a textura do tecido.

“Todo dinheiro que dou a ele é usado pra comprar material para desenhar. Pedraria, esmalte e tudo o mais. Ele imagina qual vai ser o tecido ou a textura e usa alguma coisa que fique parecido”, explica Marilene.

Caneta e papel

Mesmo sem poder se comunicar diretamente com o cliente, Marquinhos não se desanima e usa todos os meios para conversar, usando papel e caneta. “Eu penso positivo todos os dias, acredito que tenho um dom e que Deus irá me abençoar”, escreveu ele.

Os croquis e orçamentos de Marcos estão disponíveis no Instagram: @estilista.marcos.pontes.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.