Publicidade
Entretenimento
CULTURA

Artista plástico Jair Jacqmont realiza exposição sobre a flora local em Manaus

Mostra acontece no recém-inaugurado restaurante Bubuia na próxima semana, dia 7, às 19h. Exposição com tema ecológico pretende mostrar a importância da preservação das florestas, explica o artista 30/06/2016 às 10:51
Show jac1
As cores são sempre o primeiro artifício do artista Jair Jacqmont. Ao todo, ele vai expor 10 telas (Fotos: Divulgação)
Laynna Feitoza Manaus (AM)

Vivemos cercados pela maior floresta tropical do mundo e isto pode influenciar nossos artistas nas mais distintas linguagens. No caso do artista plástico Jair Jacqmont, tal influência se aplica dentro de uma linguagem mais contemporânea. Para isso, ele celebrará a exposição “Jacqmont+Verde” em um vernissage que acontecerá no dia 7 de julho, no recém-inaugurado Restaurante Bubuia (Av. Rodrigo Otávio, Distrito Industrial, em frente ao Studio 5).

A exposição se insere em um tema ecológico/temático. “A minha linguagem é sempre uma continuidade da minha estética, podendo inserir os quadros em lugares diferentes sem dar composições diferentes. Como um mosaico ou uma construção de ideias segmentar com as obras”, destaca ele.

As cores são sempre o primeiro artifício de Jair: nas obras, ele começa utilizando verde e azul, seguido dos amarelos, vermelhos, criando uma espécie de vegetação amazônica. “Além da vegetação temos temas sobre a nossa cidade, principalmente a cúpula do Teatro Amazonas, um ícone da nossa cultura”, aponta ele. Ao todo, ele vai expor 10 telas de tamanhos diversos – a maior possui tamanho 1,80m x 1,40m.

Para dar a base do seu trabalho, o artista utilizou a figura das helicônias – plantas – por conta de sua sinuosidade, pelo movimento e vibração tonal dos vermelhos e verdes das folhas misturadas. “Ela tem o significado de uma pintura extremamente neoexpressionista, pelo movimento das pinceladas”, assegura Jacqmont.

Como defensor incansável das matas da Amazônia, Jair repudia a falta de conhecimento sobre as florestas e plantas da nossa região. Em suas telas, ele pretente mostrar sobre o quanto preservar é crucial. “Alguns com muita ignorância querem acabar com o ‘mato’. Acham demais, mas não têm educação nenhuma sobre o tema. Se alguém compra um terreno, a primeira coisa que faz é matar o ‘mato’, sendo que aquele pedaço de terra tem milhares de plantas, muitas até desconhecidas”, evidencia.

Novo local

Quem é a curadora da exposição é a artista plástica Virna Lisi. Segundo ela, o Bubuia é um restaurante de duas uruguaias. “Eles queriam um restaurante de pratos uruguaios com elementos amazônicos”, coloca ela, lembrando que o estabelecimento oferece um espaço às artes visuais, como pinturas, esculturas e fotografias. “A ideia é que a cada três meses entre uma exposição nova”, aponta. Inaugurado há dois meses, o Bubuia inaugurou com pinturas do Buy e de Helen Rossy.

Jair Jacqmont

Artista plástico, 69 anos nascido em Manaus, Jair Jacqmont fez sua primeira exposição há 51 anos. Fez cursos de Pinturas, Materiais, Desenhos, Gravuras e Programação Visual no MAM, do Rio de Janeiro; curso de Serigrafia no Parque Lage, do Rio de Janeiro; Desenho de Propaganda na Fundação Getúlio Vargas, no Rio de Janeiro; e Curadoria e Montagem de Exposições na Fundação Nacional das Artes (Funarte).

Publicidade
Publicidade