Publicidade
Entretenimento
Vida

Artista visual Euros Barbosa é único amazonense participando de exposição internacional

Único amazonense na exposição intitulada “Arte Brasileira”, Euros Barbosa está entre os 43 brasileiros selecionados pela curadora de São Paulo, Angela de Oliveira 09/02/2016 às 15:14
Show 1
O artista visual Euros Barbosa é o único amazonense entre os 43 brasileiros que irão participar da exposição “Arte Brasileira” no exterior
Lídia Ferreira ---

Depois de conquistar as galerias nacionais e internacionais com suas obras digitais, o amazonense Euros Barbosa entra em nova temporada fora do País para mostrar sua habilidade manual com a utilização de material reciclável. O quadro “O Papelão” percorrerá a Europa e os Estados Unidos a partir da próxima semana.

Como o próprio título sugere, Euros Barbosa usou como matéria-prima o papel cartão. O artista recolheu de lugares onde o material seria enviado para o lixo. “O papelão é um material contemporâneo e, ao mesmo tempo, rústico, isso foi o que me instigou. Também estamos na era de reciclar ou pelo menos parar para pensar nisso”, diz o artista visual.

A obra, que mede 50x50 cm, é um autorretrato feito com a técnica de colagem. “Eu gosto me reciclar também, experimentar ténicas diferentes, misturar, colocar a criatividade para trabalhar”.

Único amazonense na exposição intitulada “Arte Brasileira”, Euros Barbosa está entre os 43 brasileiros selecionados pela curadora de São Paulo, Angela de Oliveira. “Ela viu meu trabalho pelas redes sociais e fez o convite na hora, o mundo digital tem essas facilidades”, fala.

A primeira parada da mostra será em Viena, na Áustria, onde os quadros serão expostos de 18 a 25 de fevereiro, na Galeria Koko. De lá segue para Porto, em Portugal, Nova York e Miami, nos Estados Unidos e encerra em outubro em Paris, na França.

“Essa é uma forma de reconhecimento do meu trabalho, especialmente agora que estou experimentando outras técnicas diferentes da arte digital, que foi a que mais deu visibilidade a minha obra ao longo desses anos”. O artista plástico conta com o apoio da Secretaria de Estado da Cultura (SEC). A Casa do Brasil, em Portugal, e o site Arte Natik também são apoiadores da exposição.


Sem rótulos

Multiartista, plugado nas tecnologias e autodidata, Euros Barbosa brinca ao dizer que nem ele sabe se é um artista plástico.

“Uns me intutilam assim, outros questionam. Eu gosto mesmo de fazer a minha arte, pesquisar e sempre estar testando novas possibilidades”, diz. Formado em desenho pelo Liceu de Belas Artes e Ofícios no Rio de Janeiro, ele começou a trilhar sua carreira pelos jornais da cidade produzindo cartoons e charges na década de 1980.

Depois de ser ver como “inimigo número 1 das novas tecnologias” durante anos, ele não só se rendeu como foi um dos pioneiros em Manaus a se dedicar a arte digital. “Eu não gostava mesmo, mas como não tinha como fugir, comecei a conhecer e mudei completamente de ideia”, diz entusiasmado.

Com técnica do photo painting, ele utiliza fotografias e softwares de edição digital de imagens para compor seus quadros. Foi dessa forma que ele criou “Fúria verde”, quadro exposto em 2012 no Salão Nacional de Belas Artes- Salon National des Beaux-Arts (SNBA), no Museu do Louvre, em Paris.

Em 2013, foi a vez dos Estados Unidos conheceram o artista visual amazonense, que expôs na HSA Gallery, em Nova York. “Minha curadora em Manaus, a Virna Lisi, é a grande responsável por tudo isso, sou muito grato a ela, além dos demais curadores”, diz.

Em 2014, ele fez sua primeira exposição individual em Manaus, na Galeria do Largo. Chamada “Euros – Do Risco ao Pixel”, a mostra fez uma síntese de sua trajetória artística.

Saiba + Acessibilidade

Em 2014, as telas de Euros Barborsa na exposição “Do Risco ao Pixel” tinham canetas com audiodes-crição para pessoas com deficiência visual. Foi a primeira exposição local e de um artista amazonense a contar com este serviço.

Publicidade
Publicidade