Publicidade
Entretenimento
Vida

Artrupe programa estreia de novo espetáculo para o mês de fevereiro

Contemplada com o Prêmio Manaus de Conexões Culturais, da Manauscult, peça inédita sobre relações familiares terá direção e dramaturgia de Francis Madson 28/12/2015 às 15:55
Show 1
Os atores Victor Kaleb, Diego Bauer e Danilo Reis estão no elenco
ACRITICA.COM Manaus (AM)

A Artrupe Produções iniciou o processo de ensaios do seu terceiro espetáculo de teatro, “Obevandiva”, obra que será dirigida pelo dramaturgo Francis Madson, que também assina o texto. A peça dá prosseguimento ao trabalho da produtora no teatro, que começou com os espetáculos “A Casa de Inverno” e “Inquietações”. "Obevandiva" deve estrear na primeira quinzena de fevereiro. 

Seguindo a linguagem do teatro contemporâneo brasileiro, a nova peça trata sobre a família, mas não segue uma narrativa tradicional, como explica Madson: “'Obevandiva' é parte de uma tetralogia chamada Tetralogia da Família, que amplia o campo de discussão sobre a família a partir de outros olhares. Percebo na história da constituição social da família questões que precisam ser reorganizadas como problemáticas para pensarmos os valores, os poderes, as alegrias, e a formação da própria família”, conta o diretor. 

Além de “Obevandiva”, os demais textos que formam a Tetralogia da Família são “Casa de Franciscos, Quem Nasce Antônio É Rei”, texto já encenado por Madson, além dos inéditos “Alice Músculo +2” e “Tamaratamiris”. 

Produção

O trabalho contará com  Daniele Geammal no cenário e figurino, e Babaya Morais como preparadora vocal. Repetindo a parceria do seu primeiro espetáculo, o elenco será formado por Danilo Reis, Diego Bauer e Victor Kaleb, fato que é comemorado pelo diretor: “Percebo uma abertura significativa por parte dos atores envolvidos. A criação em arte acontece a partir de agenciamentos entre as partes envolvidas, quando o campo de criação é coletivo”. 

Tendo passado o ano de 2015 na Escola Martins Pena, no Rio de Janeiro, o ator Danilo Reis se diz muito empolgado com a oportunidade de voltar a encenar uma peça em Manaus, e que esse sentimento ganha ainda mais peso por se tratar de um trabalho com Madson: “O Madson sem dúvidas está inserido num possível contexto de dramaturgia contemporânea brasileira. Tanto devido ao conteúdo quanto à linguagem, o rigor e a coragem. E, por conhecer outras obras dele, penso que 'Obevandiva' é um chute na porta”, explica o ator. 

Reis também acredita que esse trabalho pode ajudar no debate sobre o cenário teatral amazonense. “Obevandiva vai ser a continuação de um longo trabalho de difusão, que foi muito bem representado, nesse ano, pelos grupos com espaços independentes em Manaus, como o Ateliê 23, Cia de Intérpretes Independentes, Lugar Uma de Artes. Nosso espetáculo quer discutir, sim, as relações  interpessoais, mas não se isenta do debate sobre o fazer artístico em Manaus. E, dentro dessa lógica, o público manauara tem estado cada vez mais aberto para o que estamos fazendo”, conclui o ator.

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade