Publicidade
Entretenimento
ARTES CÊNICAS

Dimas Mendonça apresenta 'Abaporutação' no Espaço Artrupe, nesta sexta (31)

O solo dá continuidade à experimentação de linguagens artísticas desenvolvida pelo ator no projeto "Processo Natimorto" 30/03/2017 às 19:13
Show img 9006
Espaço Artrupe fica na rua Joaquim Nabuco, Centro
acritica.com Manaus (AM)

O novo espetáculo do ator e diretor Dimas Mendonça, "Abaporutação", será apresentado nesta sexta-feira (31), às 20h, no Espaço Artrupe (Rua Joaquim Nabuco, 1436, Centro). Os ingressos custam R$ 5 (meia).

O solo dá continuidade à pesquisa desenvolvida por Dimas com o "Processo Natimorto", iniciativa que experimenta linguagens teatrais menos convencionais e mais radicalizadas. “O trabalho é de 2013, numa fase em que trechos de dramaturgias em processo estavam em estudo, organizados num circuito de ações percorrido por um grupo de atores. É fruto de questões do início do 'Processo Natimorto', em 2011, quando a ideia era falar do desgaste dos discursos na sociedade”, explica Dimas, que dirige e atua no espetáculo.

No trabalho, o intérprete passa por diferentes figuras estereotipadas que estão presentes no cotidiano da sociedade: um artista, uma mãe de família, um cantor e um pastor, e a partir dessas figuras o espetáculo caminha por diversos questionamentos e provocações acerca de como essas pessoas reproduzem e praticam discursos egoístas e preconceituosos.

“A partir de novembro de 2015, na Ocupação do Espaço Uma de Artes, sob a supervisão e provocação do artista Francisco Rider, 'Abaporutação' passa a comunicar o sentido de morte, vida e decomposição através da movimentação de deslocamentos exaustivos do ator num espaço que se modifica com o tempo e ação do mesmo”, continua o diretor, que retomou as apresentações do espetáculo no início de 2017.

Seguindo a linha provocativa desenvolvida pelo "Processo Natimorto", o trabalho busca tirar o espectador da sua zona de conforto, colocando-o em situações inesperadas: “Eu o faço pensando em recepcionar o público, localizá-los numa aparente ordem para depois desordená-los todos e tudo”, conclui o artista.

* Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade