Quinta-feira, 05 de Dezembro de 2019
Vida

Atriz que protagoniza “Bonitinha, mas ordinária”, diz que filmar a obra foi muito tranquilo

Dirigido por Moacyr Góes, o filme estreou na sexta-feira nas salas de Manaus. A protagonista Letícia Colin fala ao BEM VIVER sobre a obra



1.jpg Letícia Colin fala da cena emblemática de “Bonitinha, mas ordinária” em que é violentada por vários homens: “nem foi a cena mais difícil de fazer”, diz a atriz
26/05/2013 às 16:39

Mais de 30 anos depois de ser um grande sucesso do cinema nacional com Lucélia Santos, José Wilker e Vera Fischer como protagonistas, “Bonitinha, mas ordinária” ganhou uma nova versão que chegou às salas de cinema neste fim de semana. Dessa vez com Letícia Colin, João Miguel, Leandra Leal e Gracindo Júnior nos papéis principais.

Baseado em texto teatral de Nelson Rodrigues, o filme – como não poderia deixar de ser, em se tratando de obra do “anjo pornográfico” – tem como mote a hipocrisia e os conflitos de caráter das classe média e alta, com uma boa dose de sexo fazendo parte fundamental da trama, é claro. Dirigido por Moacyr Góes, o filme estreou na sexta-feira nas salas de Manaus. A protagonista Letícia Colin fala ao BEM VIVER sobre a obra.



Em 2010, quando o diretor Moacyr Góes filmou o enredo, Letícia Colin tinha apenas 18 anos. E teve que lidar com o universo nada pueril de Nelson Rodrigues, encarnando a própria bonitinha, mas ordinária do título. Hoje, mais madura, a atriz falou em entrevista exclusiva sobre a experiência de estrear no cinema com uma obra de Nelson Rodrigues. De quebra, avisou que vai estar em Parintins este ano.

“Fiquei muito feliz em saber que ia falar com alguém de Manaus. Estou indo para aí em junho. Vou conhecer o Festival de Parintins este ano”, disse Letícia, demonstrando bastante empolgação.

Ao ser indagada sobre o que sentiu quando foi escolhida, aos 18 anos, para interpretar uma personagem tão densa em sua estreia cinematográfica, Letícia faz questão de esclarecer: “Eu fiz teste. Passei no teste para conseguir o papel”. E segue dizendo que, quis muito ganhar a personagem.

“Com 14, 15 anos, eu participei de um grupo de teatro que estudava Nelson Rodrigues. Então, eu já conhecia a obra. Quando soube do teste, fiquei muito entusiasmada com a possibilidade de fazer cinema e de interpretar essa personagem. Queria muito o papel”, conta.

Idade
Dos 18 anos de então para os 23 de agora, o tempo acabou apaziguando quaisquer conflitos que Letícia pudesse ter com a interpretação de uma personagem tão densa. “Assistir ao filme agora é muito bom. É bem melhor. Me julgo menos e acho legais as escolhas que fiz”, diz.

A atriz garante também que aproveitou bastante a oportunidade de filmar “Bonitinha, mas ordinária”. “É uma personagem muita rica. Interessante porque tem dois polos. O processo de fazer o filme foi muito bom para mim. Contracenar com João Miguel e Gracindo Júnior foi especial. E eu estava preparada psicologicamente”, afirma.

Uma das cenas mais polêmicas do filme, que causou certo furor em 1981, quando interpretada por Lucélia Santos, é a passagem na qual a personagem é violentada por vários homens. Sobre a atual versão, já há críticas que acusam a cena de ter ficado muito asséptica. Letícia, por sua vez, diz não ter tido muita dificuldade, mesmo aos 18 anos, de filmar a cena. “Não vou dizer que foi simples. Nunca é muito fácil, mas não acho a cena mais difícil do filme. A cena final, da revelação, é bem mais forte”, opina a atriz, que já está atuando em um novo projeto cinematográfico. “Estou rodando o longa do Daniel Augusto, mas não posso falar nada ainda”.

Quanto à atuação de Lucélia Santos, na versão que se tornou um clássico do cinema nacional, Letícia diz que só quis ver depois das filmagens. “Vi, gostei, mas não me comparei. Cada filme é um filme. Cada época é uma época”, filosofa.


Mais de Acritica.com

5 Dez
VOTA__O_F1F1F946-A393-46D6-9DC2-9F80764F9CB4.JPG

Deputados aprovam texto-base do pacote anticrime

05/12/2019 às 09:21

Entre os pontos que constam no PL estão o aumento de 30 anos para 40 anos no tempo máximo de cumprimento da pena de prisão no país e o aumento da pena de homicídio simples, se envolver arma de fogo de uso restrito ou proibido.


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.