Sábado, 23 de Janeiro de 2021
Quadrinhos

Atriz brasileira inspira imagem da 'Mulher-Maravilha da Amazônia'

Suyane Moreira fala sobre a honra de ver seus traços servirem como base para a nova heroína da DC Comics. Ela trabalhou em produções como "Novo Mundo", "Amazônia" e "Araguaia"



b0107-1f_E25F7D41-7816-4C52-A03F-046D45E709EB.jpg A atriz e modelo é descendente de indígenas e africanos (Foto: Luis Moraes/Divulgação)
09/11/2020 às 14:49

Os amantes brasileiros de quadrinhos se animaram com um anúncio feito no último mês de outubro: o de que a nova Mulher-Maravilha da DC Comics seria nativa da Amazônia. O que se sabe até agora é que a nova heroína se chama Yara Flor, nasceu numa aldeia indígena e trabalhará ao lado do novo Superman – Jon, o filho de Clark Kent. 

A curiosidade moveu um fã até a autora de Yara, a escritora Joelle Jones, que confirmou: a estética da nova heroína é inspirada na atriz e modelo cearense Suyane Moreira, 37, que é descendente de indígenas e africanos e interpretou várias personagens indígenas ao longo de sua carreira na TV. 



O referido fã, o internauta Marcos Lucon, explicou em uma publicação no Instagram que mandou uma mensagem para Joelle, apontando a semelhança de Yara Flor com Suyane. “Isso é bem legal! Na verdade, eu a usei como ponto de referência para o design de Yara!”, respondeu Jones a ele, confirmando a suspeita. Marcos, então, entrou em contato com Moreira para contar a boa nova. 

“Achei que o Marcos estava fazendo uma homenagem para mim, como fã do meu trabalho – porque tinha uma foto minha ao lado da Mulher-Maravilha. Depois vi um texto grande com umas conversas dele com a autora. Eu não vi de primeira. No final do dia, eu realmente vi que ela foi inspirada em uma foto minha, a qual a autora utilizou pra fazer a Mulher-Maravilha brasileira”, declara ela. 

De acordo com a atriz e modelo, Joelle utilizou a foto da personagem Iara, interpretada por Suyane na novela “Os Mutantes”, para compor Yara Flor. “Na novela, Iara era uma sereia das águas doces, dos rios amazônicos”, comenta ela. 

(Yara Flor é a Mulher-Maravilha criada pela escritora Joelle Jones. Foto: Reprodução)

Na TV, Suyane é constantemente convidada para interpretar personagens indígenas, por conta de seus traços característicos. O primeiro personagem dela foi no filme “Árido Movie”, de Lírio Ferreira, onde viveu a indígena Wedja. Logo após, veio a série “Amazônia – De Galvez a Chico Mendes”, onde ela interpretou a personagem Ianká. 

“Depois veio ‘Araguaia’, com Iarú Karuê; logo veio a série ‘As Brasileiras’, onde fiz a protagonista Araí; a novela ‘Os Mutantes’, onde vivi Iara; e o remake de ‘Gabriela’, onde interpretei Mara”, comenta ela, que também viveu a indígena Teça na recém-reprisada novela “Novo Mundo”.

Projetos e sentimentos

Atualmente, Moreira está em Juazeiro do Norte trabalhando como modelo pela agência Ford Models, mas está totalmente aberta à televisão. “Recentemente recebi um convite incrível de Selton Mello [ator e diretor] para participar de ‘Sessão Terapia’. Foi uma surpresa muito grande, estou muito feliz com esse trabalho. Meu primeiro papel como atriz foi com o Selton, e fazer esse trabalho com ele está sendo muito gratificante”, celebra ela, que deve participar da quinta temporada da série.  

Ainda sobre a Mulher-Maravilha da Amazônia, Suyane afirma que não chegou a conhecer a autora e, pela proporção dos fatos, fez um Story no Instagram agradecendo-a pela referência. “Não acaba sendo uma homenagem para mim, e sim para todas as mulheres brasileiras. As mulheres brasileiras se inspiram na Mulher-Maravilha’, e ter uma Mulher-Maravilha brasileira representa muito todas essas mulheres”. 

Opiniões

E o que as mulheres quadrinhistas do Amazonas estão achando da nova guerreira dos quadrinhos? “Fiquei muito feliz pela escolha. Suyane Moreira tem traços perfeitos para quadrinhos e para compor essa super-heroína. Gostaria que essa nova Mulher-Maravilha lembrasse mais as guerreiras amazônidas com o cabelo preto, mais longo e liso, e tivesse uma pintura vermelha de urucum nos olhos”, declara a quadrinhista Viviane Bandeira.

Para a quadrinhista Lorena Souza, além de valorizar a figura da mulher em si, a nova Mulher-Maravilha valoriza as características das mulheres amazônidas – as caboclas e as indígenas – que geralmente não são representadas. “E quando estão em foco, suas imagens estão acompanhadas por estereótipos equivocados. A nova Mulher-Maravilha ainda não chegou às bancas, mas para mim passa a mensagem de que não importa a cor da pele ou etnia, você também pode ser uma Mulher-Maravilha”, celebra.

 

 

Subeditora de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.