Publicidade
Entretenimento
Vida

Audição do CD ‘Quem manda é a galera’ será na Tacacaria Parintins

Segundo os idealizadores, no projeto está reunida a verdadeira essência do Boi Garantido; como as toadas com letras simples e belas com a memória de suas festas 30/05/2013 às 18:59
Show 1
Audição do CD ‘Quem manda é a galera’ acontece na Tacacaria Parintins
acritica.com* ---

 Neste domingo (2),  a partir das 17h, dentro do projeto ‘Tacaca Com Pavulagem’, da Tacacaria Parintins, localizada no CSU do Parque 10 de novembro,  acontece a audição do CD “Quem manda é a galera”. Entrada gratuita e não há cobrança de couvert.

Os compositores Mencius Melo, Rafael Lacerda e Orlando Neto Cidade, além de João Paulo Faria (sobrinho do ex-apresentador Paulinho Faria),  são os responsáveis pela homenagem, em forma de CD, ao boi de Lindolfo Monteverde. Os quatro produziram o CD “Quem manda é a galera” com as toadas que ficaram de fora da seleção desse ano e algumas que concorrem  por vários anos sem ter espaço, no CD oficial, como “Garantido no Cio” de Chico da Silva.

Entre os compositores presentes no QMG estão Emerson Maia, Tadeu Garcia, além de alguns novos como Marcio Azevedo que tem a bela toada “Morada Cabocla” na voz de Márcia Siqueira e outros, que também estão no CD oficial, como Demédrios Haidos e Geandro Pantoja. Duas vozes estão dando o que falar no projeto: a primeira é o registro histórico da voz do fundador do Garantido Lindolfo Monteverde, que canta durante alguns segundos. O áudio foi cedido pelo ex-apresentador Paulinho Faria, que tinha a gravação em fita cassete há 40 anos. O  ex-levantador do Garantido, David Assayag, foi quem interpretou todas as toadas. O ex-apresentador Paulinho Faria participa em várias faixas e faz  a contagem original.

Segundo os idealizadores, no projeto está reunida a verdadeira essência do Boi Garantido; como as toadas com letras simples e belas com a memória de suas festas; vultos históricos; além de ter o último registro da voz do fundador do Garantido, Lindolfo Monteverde; assim como a  contagem original de Paulinho Faria; e desafios descontraídos. “Em poucas palavras, neste álbum está  a Baixa de São José”, falam em uníssono.

Todos fazem questão de dizer também que a obra não tem nenhum cunho político ou partidário, sendo tão somente uma bela homenagem pelos cem anos do boi do coração na testa. “Esta é uma viagem que mostra que a simplicidade, ainda é a alma da tradição. Temos que curar essa mania descomplicar  e distorcer nossa ritmo”, alfinetam em coro, completando que o “boi” já foi muito longe, agora é hora de voltar.

Bruna Ianuzzi, proprietária da Tacacaria, informa que as primeiras cem pessoas a comprarem tacacá ganham um exemplar do álbum, que tem apenas mil cópias e não será vendido. “É uma forma de presentear nosso público que sempre nos prestigia. Já disse que a Tacacaria não tem cor, somos a cultura de Parintins. Além disso, é inegável que esse CD, nos remete a toda história do nosso boi.”, avalia.



Publicidade
Publicidade