Segunda-feira, 25 de Maio de 2020
CINEASTA

Autobiografia de Woody Allen é publicada e editores citam liberdade de expressão

“A propósito de Nada”, foi publicada em todos os Estados Unidos, afirmou a Arcade Publishing em nota. A autobiografia é descrita como um “relato pessoal cândido e abrangente” de Allen sobre sua vida, carreira e “suas relações com familiares e amigos”



BRENDAN_MCDERMID_E489C806-31B1-44E8-9856-172385DE39C1.JPG Foto: Brendan Macdermid
24/03/2020 às 11:07

Uma editora independente publicou um livro de memórias do cineasta Woody Allen depois de outra editora ter desistido da obra após protestos por conta de uma acusação de décadas atrás de que Allen teria molestado sua filha. 

“A propósito de Nada”, foi publicada em todos os Estados Unidos, afirmou a Arcade Publishing em nota. A autobiografia é descrita como um “relato pessoal cândido e abrangente” de Allen sobre sua vida, carreira e “suas relações com familiares e amigos”. 



A publicação do livro tinha sido abandonada pela editora Hachette Book Group, com sede em Nova York, depois que a equipe desistiu do projeto e por críticas dos filhos de Allen, Dylan e Ronan Farrow. 

O diretor vencedor do Oscar por “Noivo Neurótico, Noiva Nervosa” e autor de outras comédias nega repetidamente a acusação de que teria molestado sua filha adotiva, Dylan Farrow, em 1992. 

“Woody contou sua história de maneira abrangente em seu livro, nós recomendamos muito que qualquer um que tenha perguntas o leia”, disse um porta-voz de Allen em nota na segunda-feira. 

Jeanette Seaver, co-fundadora da Arcade Publishing, disse em nota que a decisão de publicar o livro era uma questão de liberdade de expressão. “Acreditamos que seja crítico ouvir mais de um lado de uma história, e mais importante, não esmagar o direito de um escritor ser ouvido”, disse Seaver em nota. 


Mais de Acritica.com

25 Mai
ARQUIVO_AG_NCIA_BRASIL_8E54B548-1F0D-43FC-B519-959FF459E3B2.jpg

MEC suspende pagamento de parcelas do Fies

25/05/2020 às 13:17

O estudante que tiver interesse em suspender as parcelas deverá se manifestar junto ao banco até 31 de dezembro. A suspensão vale para os contratos que estavam em dia antes da decretação do estado de calamidade pública, reconhecido em 20 de março, e será retroativa às parcelas que não foram pagas desde então


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.