Publicidade
Entretenimento
ROCK N' ROLL

Autor de biografia do Engenheiros do Hawaii faz noite de autógrafos em Manaus

Jornalista Alexandre Lucchese, responsável por “Infinita Highway – Uma carona com os Engenheiros do Hawaii”, participada de noite de autógrafos neste sábado (1°), às 17h, na livraria Saraiva MegaStore. A obra passeia pela história da banda gaúcha, passando por polêmicas e desvendando algumas curiosidades 31/03/2017 às 05:00 - Atualizado em 31/03/2017 às 11:52
Show infinita 1
Livro “Infinita Highway – Uma carona com os Engenheiros do Hawaii”. Fotos: Divulgação
Rafael Seixas Manaus (AM)

Com letras profundas, encorpadas e com uma sonoridade envolvente, a banda Engenheiros do Hawaii fez história no rock n’ roll nacional. Os sucessos dos gaúchos que faziam faculdade de Arquitetura continuam vivos até hoje. “O papa é pop”, “Terra dos gigantes”, “Pra ser sincero” e “Refrão de bolero” são algumas das canções que continuam marcando presença nas rádios, nas casas de shows e em tributos. Entre os fãs conquistados durante os anos de atuação está Alexandre Lucchese que, ainda criança, conheceu por meio da rádio as músicas do grupo e fez delas a trilha sonora de sua vida. Hoje, já jornalista e atuando em um dos principais veículos de comunicação do Rio Grande do Sul, Lucchese assina a bibliografia do Engenheiros do Hawaii.

Intitulado “Infinita Highway – Uma carona com os Engenheiros do Hawaii” (editora Belas Letras), o livro traz detalhes do surgimento da banda, conta algumas curiosidades e é resultado de muito bate-papo com quem fez parte dessa história: isso incluiu além do líder, Humberto Gessinger, roadies, produtores, familiares dos integrantes e fãs. Mas, o principal colaborador é Gessinger, que foi entrevistado muitas vezes em sua casa pelo jornalista. Lucchese estará em Manaus participando de uma noite de autógrafos deste livro neste sábado (1°), às 17h, na livraria Saraiva MegaStore (Manauara Shopping, bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul).

“Moro no Rio Grande do Sul há mais de dez anos, mas sou natural do Paraná. Sou um gaúcho emprestado (risos). Morava em uma cidade pequena chamada Realeza, com pouco mais de 15 mil habitantes, e as informações que chegavam até a gente vinham por meio do rádio e da TV. Em termos de canção, o meu primeiro contato foi através do rock do Engenheiros do Hawaii”, disse o jornalista, que teve a ideia de fazer a bibliografia durante a fase de apuração para um especial que sugeriu sobre os 30 anos da banda.

“A partir daí, eu vi que ninguém estava fazendo um trabalho mais profundo sobre eles. Há outras bandas (gaúchas) com materiais publicados, como livros e documentários, mas o Engenheiros do Hawaii, que teve maior expressão popular fora do Rio Grande do Sul, não tinha. Me dei conta que seria a pessoa mais próxima de fazer, porque fiz uma grande pesquisa durante o especial. Conversei com a Belas Letras, eles gostaram da ideia e falaram com o Humberto, que se disse disponível. Ele falou que não queria ler o livro antes de ser publicado, para não influenciar”, contou.


Alexandre Lucchese e Humberto Gessinger durante as entrevistas que deram origem ao livro

A obra chega a comentar as polêmicas envolvendo as saídas de Marcelo Pitz, o baixista original, e Licks, o guitarrista da “fase de ouro”. Contudo, essas questões estão na publicação porque afetaram artisticamente a banda. “O Humberto foi super aberto ao falar sobre isso. Também pesquisei arquivos judiciais, conversei com advogados... Era uma parte que estava acinzentada e que joguei um pouquinho de luz. Quis mostrar os fatos que aconteceram, mas não dando tanto destaque”.

Além desses pontos, os leitores podem descobrir como funcionou o processo de composição de músicas como “Infinita Highway” e de como surgiu a ideia de gravar “Era um garoto que como eu amava os Beatles e os Rolling Stones”, um dos maiores sucessos do grupo. “O Humberto escutava essa música desde criança, e eles excursionavam com o Brizola (político brasileiro falecido em 2004) para apoiá-lo na candidatura à presidência. Ele se atrasava para os comícios e a banda tinha que aumentar o repertório. Acabavam esgotando tudo e tocavam coisas como ‘Era um garoto que como eu amava os Beatles e os Rolling Stones’. Então o Brizola tem culpa nessa gravação (risos), que se tornou um dos principais sucessos da banda”.

“Infinita Highway – Uma carona com os Engenheiros do Hawaii” é uma obra de leitura fácil, com muitos detalhes e feita a partir de conversas freqüentes com fãs da banda gaúcha. É um livro feito por um fã para os fãs.

Ficha técnica

Título: “Infinita Highway – Uma carona com os Engenheiros do Hawaii”

Autor: Alexandre Lucchese

Editora: Belas Letras

Preço: R$ 44,90

Serviço

O que é: noite de autógrafos da bibliografia “Infinita Highway – Uma carona com os Engenheiros do Hawaii”

Quando: sábado (1°), às 17h

Onde: livraria Saraiva MegaStore, do Manauara Shopping

Quanto: entrada franca

Publicidade
Publicidade