Quarta-feira, 13 de Novembro de 2019
Vida

Autor Pedro Gabriel do livro ‘Eu me chamo Antonio’ realiza tarde de autógrafos em Manaus

Poesia desenhada e mais profunda retorna em ‘Segundo - Eu me chamo Antonio’ e os fãs poderão prestigiar o autor neste sábado (7), na Livraria Saraiva



1.gif Pedro Gabriel conta que o segundo livro está mais profundo
07/02/2015 às 11:36

A poesia de Pedro Gabriel é arte duas vezes. Pela sensibilidade de partilhar experiências amorosas, desilusões e sonhos por meio de palavras desenhadas em guardanapos, o escritor ganhou fama nacional na web e em 2013 lançou seu primeiro livro “Eu me chamo Antonio”. Este ano, seus mais de 500 mil seguidores no Instagram e 900 mil fãs no Facebook poderão conferir mais da criatividade do autor agora em formas e técnicas não exploradas antes: chega o “Segundo - Eu me chamo Antonio”. Pedro Gabriel está cumprindo uma extensa agenda de lançamentos ao redor do Brasil, e hoje, a partir das 15h, estará na Livraria Saraiva do Manauara Shopping para uma tarde de autógrafos.

“Segundo - Eu me chamo Antonio” continua trazendo a poesia de Pedro, desta vez, gravadas em texturas diferentes, como a xilogravura, nanquim e a colagem. A obra também traz mais elementos gráficos e páginas duplas, além de um apelo mais maduro em relação ao antecessor, que foi concebido a partir de anotações feitas em guardanapos de bar. Em entrevista ao BEM VIVER, o escritor revela que seu tom mudou.



“Por ter nascido em um bar, a linguagem do primeiro livro tem mais humor, trocadilhos. E o segundo é mais poético. É como se o Antonio tivesse saído do bar”, revela, referindo-se ao seu alter-ego. Antonio, em verdade, é um dos nomes de Pedro (cujo nome completo é Pedro Antônio Gabriel Anhorn), mas aquele pelo qual ninguém lhe chama.

A vinda do autor é resultado de repetidos pedidos de fãs junto à Editora Intrínseca e esta, segundo Pedro, “graças a Deus conseguiu”. A animação é grande para visitar a capital amazonense pela primeira vez, pois a vinda para locais tão distantes de a cidade onde mora (Rio de Janeiro), é a prova de que seu trabalho tem sido amplamente reconhecido. De acordo com o autor, a popularidade tem bastante a ver com a apresentação de sua poesia.

“Com certeza o casamento da imagem com a palavra me ajuda muito, principalmente nas redes sociais. Quando isso parece na tela do computador de um jovem, chama a atenção. Mesmo que ele não goste depois, ele vai parar para ver”, explica. Esse triunfo, inclusive, foi comemorado pela classe docente, afirma o escritor. “Professores me mandam mensagens de agradecimento, dizendo que introduziram a poesia na escola graças ao livro. Essa combinação de poesia e imagem ajuda a captar a atenção de quem é bombardeado com informações por todos os lados”.

Coragem

Como pequenos “drops” sentimentais, cada guardanapo escrito/desenhado por Pedro é um reflexo do momento vivido pelo autor. Ele conta que escrever por meio de um alter-ego lhe ajuda a perder o medo de expressar-se.

“Eu sou reservado. O Antônio é um personagem que criei e que tem mais coragem para dialogar com o mundo. Tudo que escrevo através dele é uma situação que talvez eu não tenha vivido, mas que está no meu inconsciente. Eu consegui quebrar essa timidez um pouco e dividir com as pessoas o que acontece no meu interior”.

A produção do escritor não diminuiu mesmo com a correria advinda do sucesso. Ele continua alimentando sua fan page no Facebook (www.facebook.com/eumechamoantonio) com fotos de guardanapos inéditos e contribui semanalmente escrevendo prosas e crônicas para o site da Editora Intrínseca (www.intrinseca.com.br/blog/category/colunistas/pedro-gabriel/) - neste, as postagens são feitas no formato “tradicional” de texto. Mas pensaria ele em migrar sua poesia definitivamente para fora do guardanapo?

“É uma coisa que ainda vou pensar com carinho”, revela. Os planos de Pedro hoje são mais ousados - e demorados, ele frisa. “Quero transformar os guardanapos em uma animaçãozinha, para dar a ideia da poesia em movimento e mostrar que também estou procurando evoluir meu traço e poesia. Quero atingir quem não está no Facebook, mas está no Youtube, por exemplo. Esse é meu objetivo: alcançar mais pessoas e levar um momento de delicadeza para elas”.

Serviço

O quê: Lançamento do “Segundo — Eu me chamo Antônio”

Quando: Hoje, a partir das 15honde: Livraria Saraiva do Manauara Shopping

Quanto: Gratuito


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.