Publicidade
Entretenimento
LITERATURA

Autor relança primeiro livro de poesia 32 anos depois da publicação original

"Desencontro das Águas" de Dori Carvalho aborda temas como o amor, a paixão, o desejo e a condição humana 15/08/2018 às 16:17 - Atualizado em 16/08/2018 às 08:56
Show dcdc 1b74c5c9 18d4 420b a9f4 63269cf2519a
(Fotos: Jair Araújo)
Tiago Melo Manaus (AM)

Trinta e dois anos após sua publicação original, o ator, diretor, professor de teatro, videomaker, cronista e poeta Dori Carvalho relança o seu primeiro livro de poesia, “Desencontro das Águas”. Desta vez, a obra será publicada pela editora Valer com direito a um novo projeto gráfico, “que não deve em nada para as grandes publicações nacionais”, segundo o autor, e textos complementares do contista Arthur Engrácio e do poeta Tenório Telles.

“Estou muito honrado e feliz com essa segunda edição histórica e comemorativa. A qualidade do design é enorme. Comparando com a primeira edição, então, até me surpreendo com esse salto de qualidade”, disse o autor, ressaltando que os textos de Engrácio e Telles irão ajudar o leitor e os estudiosos a compreenderem melhor todas as nuances de seus poemas.

Já o conteúdo permanece inalterado, adiantou Dori. Inalterado e, por isso mesmo, ainda relevante. Marco na produção poética contemporânea pelo significado histórico da obra como testemunho de um dos momentos mais marcantes da história brasileira, “Desencontro das Águas” foi responsável por revelar a importância literária da produção poética de Dori Carvalho.

“No livro temos um eu lírico que fala de amor, sentimentos, paixão e desejo. Ao mesmo tempo, falo sobre a condição humana. Não estou aqui para falar que o poeta deve se comportar assim ou assado, mas sou do tipo que abraça uma causa. Gosto de denunciar as injustiças, a falta de liberdade e as agruras do ser humano. Ou seja, é uma obra que vai da sexualidade até a ditadura, de Deus à vulva”, afirmou o autor quando questionado sobre a temática que permeia a obra.

Autor também do livro “Paixão e Fúria” e “Meu Ovo Esquerdo” (reunião de “desaforismos” coletados de sua conta pessoal no Facebook), Dori Carvalho conta que se tem uma característica que conecta sua produção literária é a imagética. “Minha poesia é muito fruto do que eu vejo, é como se fosse uma fotografia da retina, uma narrativa sobre uma imagem”, explicou o escritor.

Poeta proletário

O saudoso contista Arthur Engrácio, falecido em abril de 1997, à época do lançamento de “Desencontro das Águas”, escreveu: “A partir do título da obra, está visível o acento irônico, irreverente e negativista com o qual o poeta assinala os seus poemas e que não deixa de ter, até certo ponto, caráter inovador. Misto de sarcasmo e revolta, a poesia de Dori Carvalho é uma poesia de espírito proletário que, longe de cantar aos bem vividos, volta-se inteira para as camadas sofredoras, entoando alto o seu brado de alerta e denúncia”.

Para o escritor, Dori é um poeta de larga consciência social, que imprime aos seus trabalhos um tom novo, tanto no estilo, quanto na técnica, e que revela uma mentalidade que não aceita mais a forma batida e rotineira de escrever.

Geração marcanteDe acordo com Tenório Telles, autor do ensaio “A poesia como forma de ser no mundo”, que compõe a nova edição do livro de Dori, o poeta traz as marcas e os referenciais estéticos dos anos 60: o protesto, o recorte político, o humor, o compromisso social, a ruptura com o formalismo, a linguagem despojada e o caráter experimental de sua poética desassossegada e, por tudo isso, profundamente humana.

“Apesar da dureza, era um tempo rico em termos de experiências humanas e estéticas. Paradoxalmente, foi um período de grande efervescência e produção cultural, com a emergência de artistas talentosos em todas as expressões artísticas. Dori é filho desse tempo e herdeiro de suas conquistas, frustrações e perdas”, concluiu Tenório Telles.

Um paulista manauara

Dori Carvalho nasceu em São Joaquim da Barra, São Paulo, no dia 11 de junho de 1955. A partir de 1978, passou a residir em Manaus, onde criou a Livraria Maíra, um dos mais importantes espaços de livros do Amazonas. É ator, diretor, professor de teatro, videomaker, cronista e poeta.

Como ator, participou de vários espetáculos teatrais. Na área da literatura, tem publicado, em jornais, dezenas de crônicas e artigos. É autor dos livros de poemas “Desencontro das Águas” e “Paixão e fúria”, editados pela editora Valer. Sua mais recente obra, “Meu ovo esquerdo”, foi publicada pela editora Travessia.

Serviço

O quê: Lançamento “Desencontro das Águas”

Páginas: 152

Valor: R$ 37

Quando: Dia 16 de agosto (quinta-feira)

Horário: 18h30

Onde: Livraria Leitura – Amazonas Shopping

Publicidade
Publicidade