Publicidade
Entretenimento
PROJETO TEMPESTAS

Aventura sob rodas: amigos largam tudo para conhecer países da América do Sul

Os amigos Geraldo Helcius, 36, e Raphael Deeter, 29, começaram a expedição em 03 de agosto do ano passado quando saíram de Brasília (DF). Além da América do Sul, eles querem conhecer as 26 capitais do Brasil 25/02/2017 às 05:00 - Atualizado em 25/02/2017 às 12:40
Mayrlla Motta Manaus (AM)

Insatisfeitos com a vida corriqueira e com o cotidiano, os amigos Geraldo Helcius, 36, e Raphael Deeter, 29, resolveram desapegar da casa, carro e da cidade natal para fazer uma expedição sobre duas rodas, com o plano de conhecer as 26 capitais do Brasil e os 13 Países da América do Sul. (Confira no final da reportagem vídeo com melhores momentos da viagem deles)

Com a filosofia de que as preocupações com o trabalho e as contas a pagar são uma ficção, eles definem o Projeto Tempestas como “notas para escapar para a realidade”. O publicitário Raphael Deeter conta que eles saíram de Brasília (DF) em 3 de agosto do ano passado, com quatro conceitos básicos para que o plano desse certo. “Um ano de viagem, conhecer os 13 países da América do Sul, conhecer as capitais nacionais, rodar 60 mil quilômetros e uma única regra: não pagar para dormir”, conta.

Segundo ele, muita coisa já mudou desde então. “O projeto é um processo de transformação pessoal muito profundo. Então hoje a gente já não tem mais aquela urgência em chegar num lugar, já não tem mais aquele apuro em rodar quilômetros ou gerar números. A nossa experiência, hoje, é de transformação e de poder desfrutar desses momentos, a amizade das pessoas que conhecemos durante as viagens, e se encontrar nesse processo”, relatou Raphael.

O fotógrafo Geraldo Helcius conta que nasceu e se criou em Brasília e até topar participar da aventura sob duas rodas, a convite do amigo, ele nunca tinha passado mais do que um mês fora de casa. “Tudo isso está sendo muito diferente de fato. A experiência e o contato com outras pessoas valem a pena. As coisas hoje já não valem mais a pena. Estamos passando por um desapego material muito grande. Temos um cuidado somente com o que a gente precisa, que são as motos e os equipamentos”, relatou Helcius.  

Na estrada

Durante esses seis meses de expedição eles já passaram por Goiás, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Acre, Rondônia e desde o último dia 17 eles estacionaram as motocicletas em Manaus para aproveitar o “calor amazônico”.  Fora do Brasil, a dupla já percorreu o Paraguai, Uruguai, Argentina, Chile, Bolívia e Peru.

Em julho deste ano, Raphael e Geraldo retornam para Brasília com o intuito de participar do Brasília Capital Moto Week, o maior encontro de motociclistas da América Latina e 3º maior do mundo. “A ideia é que dentro do evento do motociclismo a gente possa contar mais histórias e se reencontrar com pessoas que a gente já conheceu”, disse Raphael.  Depois do evento, em agosto, a dupla dá continuidade na expedição rumo ao Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, Guiana, Suriname e Guiana Francesa.

‘Não tenha medo’

Para Geraldo, a pessoa que também deseja experimentar essa vida de liberdade precisa só de uma coisa: não ter medo! “Dinheiro foi feito para gastar. Junta o que você tem e gasta. Dinheiro a gente junta e gasta de novo. Agora o tempo, esse sim, você perde de verdade”, incentivou. “O tempo é muito valioso para nós perdemos só planejando em fazer algo. É mais fácil levantar e fazer. Quem quer de verdade vai e faz”, acrescentou Raphael.

Toda a experiência da dupla é compartilhada dia a dia nas redes sociais. Você pode conferir na página do Facebook (Projeto Tempestas), no instagram (@projetotempestas) e também no Youtube.

O que é o Tempestas? 

Raphael Deeter - "O Projeto Tempestas tem origem latim de tormenta. A gente acredita que dentro desse mesmo conceito, dentro dessa mesma proposta de estar sempre trabalhando, sem tempo para nada, pagando conta e correndo atrás a gente não chega nesse momento de bonança, e vivemos sempre em tormenta. Uma eterna tempestade pessoal, desde o aspecto profissional, sentimental, familiar. Nós não poderíamos esperar para viajar. Muita gente fala: ah quando eu me aposentar eu vou me programar e faço uma viagem em dois ou três anos. Mas nós pensamos que essa era a hora certa! Daí surgiu o que chamamos de Tempestas. Vamos largar tudo, correr atrás e vamos viajar."

Publicidade
Publicidade